Volta ao mundo em filmes de animação. Agora com dobragem

França é o país mais representado no festival de animação que começa no dia 3 de março. Ao fim de semana há sessões para pais e filhos.

Sessões de 50 minutos para bebés, onde se pode entrar e sair à vontade do mini-espectador sem perder o essencial, oficinas de animação nas manhãs de sábado e domingo (aprende-se a animar com recortes) e dobragem de filmes para miúdos entre os três e os seis anos são as novidades nas sessões de fim de semana para pais e filhos da Monstra - Festival de animação de Lisboa, que se realiza nos próximos fins de semana (5 e 6 de março, 12 e 13 de março) nas salas de cinema S. Jorge. Cinema Ideal e Cinema City Alvalade, Fnac de Almada e Fábrica do Braço da Prata. Inês Freire gestora de cópias do evento, fez uma seleção de filmes do programa.

1. Minúsculos - O Vale das Formigas

Estreada em França em 2013, esta longa-metragem de 89 minutos de Thomas Szabo e Helène Giraud baseia-se na série de TV com o mesmo nome e os seus protagonistas são formigas e outros insetos. Está indicado para miúdos a partir dos três anos e tem na Monstra a sua antestreia em Portugal. Ponto forte, segundo Inês Freire, "não tem diálogos". Todos vão perceber.

2. Adama

Um dos responsáveis pelo som deste filme francês de 2015 estará em Portugal para o apresentar aos espectadores da Monstra no domingo, dia 6, às 11.00. um dos aspetos salientados por Inês Freire ao DN sobre a obra do realizador Simon Rouby. Esta é a história de um menino de 12 anos que vive em África em 1916.

3. Gus, a grande viagem do pequeno pássaro

Outra longa-metragem (91 minutos), também francesa, também protagonizada por animais. Desta vez, pássaros e, em especial, o pequeno Gus, que ensina outros pássaros a voarem. Um trabalho de Christian de Vita (2014) que sublinha a força de França na lista de países que mais filmes mostram na Monstra, como nota Inês Freire.

4. Doce Casulo

Curta-metragem de seis minutos e cinco autores (Matéo Bernard, Matthias Bruget, Jonathan Duret, Manon Marco, Quentin Puiraveau) sobre a transformação de uma lagarta em borboleta. O filme, de 2011, é também de origem francesa. "São o maior produtor de cinema de animação, o país de onde mais recebemos e mais selecionamos filmes", observa a gestora de cópias.

5. O melhor do Kinobalon

A ex-Jugoslávia (aliás, os territórios que a compunham) é o país convidado da 15.ª edição da Monstra e está representada nas sessões para Pais e Filhos com uma seleção do mais representativo da Eslovénia pedida pelo festival português à organização Kinobalon. O resultado é uma seleção de seis curtas-metragens produzidas entre 2004 e 2013 de autores eslovenos. De Little Russia a Boles passando por The Thy Heart.

6. Está a Nevar!

Snowtime! é o título original deste filme de Jean-François Pouliot, do Canadá, que parte da ideia mais simples: as brincadeiras das crianças num dia de neve. Faz parte da competição de curtas-metragens a concurso na Monstra.

7. Balthazar- O Faroleiro

Filme croata de Zlatko Grgic, Boris Kolar e Ante Zaninovic que devolve às crianças o universo desta personagem nascida em 1962. Será dobrado para português pela primeira vez.

8. Especialidade da Casa

Margarida Madeira, realizadora portuguesa anteriormente premiada na Monstra (menção honrosa em 2015 pela obra Os Prisioneiros), tem esta curta-metragem de 2 minutos (2015) entre as obras selecionadas para as sessões de Pais e Filhos.

9. Gunther

Em paralelo com o trabalho que desenvolve com a norte-americana Pixar, Erick Oh, um dos animadores de Divertida-mente, mantém uma carreira independente que deu origem a estes 7 minutos de animação (França, 2014).

10. Halabudka e Dji. Death Sailes

São duas sugestões numa só: filmes de países que habitualmente não estão no programa. "Temos muito poucos filmes da Ucrânia", afirma Inês Freire, apesar de Halabudka, de Manuk Depoyan. A Moldávia nunca tinha estado representada ao contrário do que acontece este ano com a curta de 5 minutos de Dmitri Voloshin Dji Death Sails.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG