Turistas fazem fila para ver "restauro" do Ecce Homo

O "restauro" do fresco feito por uma idosa de 81 anos está a originar uma verdadeira peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora da Misericórdia de Borja, em Espanha. Internautas defendem que deve continuar como está.

Segundo o jornal ABC, ninguém quer deixar de ver com os próprios olhos o restauro feito por Cecilia Giménez ao original de Elías García Martínez. De tal forma que os turistas fazem fila para poder tirar uma fotografia ao lado da obra. Os habitantes locais acreditam que o fresco deve ficar como está, já que poderá ser um novo atrativo turístico para a região.

Entretanto, na Internet, são cada vez mais os que defendem a manutenção deste novo Ecce Homo (nome dado às representações de Cristo em sofrimento), que já está a ser considerado um novo ícone pop.

"De ser uma pintura bastante académica e tremendamente ancorada no século XIX passou a converter-se, graças às mãos radiantes desta mulher, num ícone pop", indicou o escritor Jesús Ferrero no seu Facebook. Já o humorista Berto Romero disse aos habitantes de Borja que comecem a cobrar entrada: "Não veem que vos calhou a lotaria? E Cecilia que venda quadros."

Uma petição lançada no site charge.org já conseguiu mais de dez mil assinaturas. O texto diz que o "ousado trabalho" da "artista espontânea" revela um "cativante ato de amor" e "uma reflexão inteligente da situação política e social do nosso tempo". Segundo o autor da petição, Javier Domingo, "o resultado da intervenção combina inteligentemente o expressionismo primitivo de Francisco de Goya, com figuras como Ensor, Munch, Modigliani ou o grupo Die Brücke, pertencente à corrente artística do expressionismo alemão".

Por outro lado, multiplicam-se nas redes sociais as montagens com o novo Ecce Homo, com o rosto de Cristo a ser substituído pelo de inúmeras personalidades, desde o primeiro-ministro espanhol, José Maria Aznar, a Homer Simpson.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG