Sobreviveu a seis ataques cardíacos e morreu de cancro no fígado

David Bowie trabalhou "como um leão no leito da morte", revelou um produtor

David Bowie morreu de cancro no fígado, segundo afirmou um produtor teatral que estava a trabalhar com o artista no musical "Lazarus", em cena em Nova Iorque. E nos últimos anos sofreu seis ataques cardíacos, de acordo com a biógrafa.

Wendy Leigh, que em 2004 escreveu uma biografia de David Bowie, afirmou à BBC News que ele não se limitou a lutar contra o cancro. "Ele teve seis ataques cardíacos nos últimos anos", disse, explicando ter essa informação de uma pessoa "muito próxima" do músico.

O produtor Ivo Van Hove, por seu lado, afirmou à NPO Radio 4 que "Bowie ainda estava a escrever no leito da morte".

"Vi um homem a lutar. Ele lutou como um leão e continuo a a trabalhar como um leão ao logo do processo. Tenho um respeito incrível por isso", disse, citado pelo jornal The Independent.

Ivo van Hove soube da doença há cerca de um ano e três meses. "Começámos a colaborar no nosso espetáculo e a certa altura ele puxou-me para o lado para dizer que nem sempre poderia estar presente devido à doença. Ele disse-me que tinha cancro, cancro do fígado".

O produtor ainda sugeriu adiar a estreia, mas Bowie ter-se-á recusado a fazê-lo. "Ele queria que este espetáculo avançasse e queria que o último álbum fosse lançado. Ele continuou a fazer música até ao último momento", contou ao NRC, sem esconder a admiração pela coragem e determinação de David Bowie. "Ele estava doente mas queria viver".

Foi a 7 de dezembro, na estreia de "Lazarus", com Michael C. Hall e Sophia Anne Caruso, que o produtor esteve com David Bowie pela última vez. "Os jornais disseram que ele estava tão bem, tão saudável. Mas quando saímos ele desmaiou imediatamente. Foi então que percebi que poderia ser a última vez que o via", contou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG