Sob o feitiço dos cabelos loiros de Marnie

"Memórias de Marnie", Hiromasa Yonebayashi

Está apontada, há vários meses, como a derradeira produção dos estúdios Ghibli, essa máquina de sonhos japonesa... mas nunca se sabe. Depois dos fundadores Hayao Miyazaki e Isao Takahata terem anunciado a reforma, cada um com belíssimos filmes, Memórias de Marnie, de Hiromasa Yonebayashi, parece revestir-se, de facto, com o tom de um canto de cisne. Mas, repita-se, nunca se sabe. Este filme de animação que conta a história de uma adolescente fascinada por uma mansão, onde descobre Marnie, uma amiga "mágica", chegou a estar nomeado para os Óscares e, por cá, arrecadou o prémio máximo da Monstra.


Um filme Ghibli é um filme Ghibli, e Yonebayashi, discípulo de Miyazaki, deixa prevalecer aqui uma certa familiaridade com o traço da animação dos estúdios, ao mesmo tempo que carrega a pincelada no retrato psicológico. O mais fascinante é o modo como se apodera de nós uma perfeita indefinição entre o que será realidade ou fruto da imaginação da protagonista: quem é Marnie? De onde vem? Ficamos sob o seu feitiço, como Joseph Cotten ficou perante Jennifer Jones, em O Retrato de Jennie (1948).

Classificação:****

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG