Será mesmo este o concerto de despedida da Jovem Orquestra?

Orquestras de jovens e escolas ocupam o CCB, em Lisboa, amanhã no Festival Jovem dos Dias da Música. Sem apoios, Jovem Orquestra Portuguesa anuncia o seu último concerto.

"Olá, o meu nome é Inês Barros, sou violetista na Jovem Orquestra Portuguesa desde 2015 e estou aqui hoje para te convidar para o nosso último concerto, a realizar nos Dias da Música, no CCB, no dia 21. Ou não. Neste momento, a existência da nossa orquestra depende de cada pessoa que esteja disposta a lutar connosco pela artes, pela cultura em Portugal e, sobretudo, a lutar ao som da coragem pela música. A JOP já não grita por uma revolução, neste momento gritamos por socorro."

Este é o testemunho em vídeo que Inês colocou no Facebook há cerca de duas semanas. Como ela, muitos dos quase 90 elementos da Jovem Orquestra Portuguesa (JOP) têm vindo a usar o hashtag #saveJOP e a publicar apelos - ao Estado Português, ao Governo, ao Ministério da Cultura, a quem possa ajudar - para que não deixem morrer este projeto, um dos braços da Orquestra de Câmara Portuguesa (OCP) - Associação Musical. Depois de no último concurso para apoios sustentados promovido pela Direção Geral das Artes, esta associação ter ficado em primeiro lugar no concurso na área da música, este ano ficou em 34º lugar - cinco lugares depois da última estrutura apoiada - e, portanto, sem direito a qualquer apoio para os próximos quatro anos.

"Vai ser muito difícil continuarmos", lamenta o maestro Pedro Carneiro, um dos fundadores da OCP, em 2007, e da JOP em 2010. Apesar de ter contestado a decisão do júri, Pedro Carneiro não tem muita esperança: "Foi anunciado um reforço de 2,2 milhões de euros mas se dividirmos isso por todas as estruturas que estão à espera de dinheiro, dará 51 mil euros a cada uma. O que é insuficiente." Neste momento, a JOP já foi obrigada a cancelar a digressão internacional a Macau e à China e também recusou o convite para se apresentar na Alemanha e na Roménia no próximo ano.

"Os nossos últimos concertos estão marcados e é obvio que é com grande alegria que os fazemos no CCB, que tanto nos tem apoiado ao longo destes anos."A JOP apresenta-se no Festival Jovem dos Dias da Música, amanhã. Fará o concerto de encerramento intitulado Alegres Travessuras, onde vai tocar obras de Rachmaninoff e Strauss (Grande Auditório, 21.00). Já a OCP vai tocar nos Dias da Música no sábado, dia 28, num concerto com a Deutsches Kammerorchester Berlin (Gianni Schicchi, de Puccini).

"É um privilégio partilhar o palco com estes jovens e saber que tivemos oportunidade de construir algo com tanta força com eles", declara Pedro Carneiro sobre os jovens com idades entre os 13 e os 24 anos que compõem a JOP, sublinhando não só o seu talento como também o empenho e a sua cidadania. Afinal, o movimento #safeJOP nasceu deles. De jovens como a violinista Beatriz, que enfrenta a câmara e diz: "Somos uma grande família que está a lutar não só pela sua geração mas também pelas que virão, para que possam passar por todas as incríveis experiências que a JOP já nos proporcionou."

Destaques da programação:

Orquestra Sinfónica Juvenil
> Grance Auditório, 13.00 Direção musical de Christopher Bochman

OJ.COM
> Grande Auditório, 15.00 Direção Musical de Fernando Marinho

Orquestra Sinfónica Ensemble
> Grande Auditório, 17.00 Direção musical de Cesário Costa. Raúl da Costa (piano)

Orquestra Sinfónica Aproarte
> Grande Auditório, 19.00 Direção Musical de Carlos Garcês

Jovem Orquestra portuguesa
> Grande Auditório, 21.00 Direção Musical de Pedro Carneiro. Vasco Dantas (piano)