Saudemos o grande cinema francês

A VIDA DE UMA MULHER Stéphane Brizé

Um velho cliché, enraizado numa militante ignorância, gosta de proclamar que o cinema francês é uma patética colecção de filmes "literários"... Vale a pena tomar à letra a insinuação presente em tal cliché, sublinhando que, de facto, de Jean Renoir a François Truffaut, passando por Max Ophüls, muitas das suas obras-primas são adaptações de livros.

Stéphane Brizé vem, agora, inscrever-se nessa frondosa genealogia, com uma adaptação tão inesperada quando admirável do romance Une Vie, de Guy de Maupassant, publicado em 1883. Muito para além do simplismo de muitas "reconstituições" televisivas, estamos perante uma viagem ao interior da odisseia de Jeanne Le Perthuis des Vauds, dividida entre o estatuto social e a verdade dos afectos - com uma notável actriz, Judith Chemla, no papel de Jeanne. J. L.

Classificação: ***** excecional

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG