Quadro de nu integral de Trump censurado nos EUA está exposto em Londres

Autor do quadro confessa ter recebido ameaças dos simpatizantes do pré-candidato dos republicanos

Um quadro em que o pré-candidato presidencial republicano norte-americano Donald Trump é representado num nu integral está exposto desde sexta-feira numa galeria de arte em Londres, após ter sido censurado nos Estados Unidos.

O autor, o pintor Illma Gore, residente em Los Angeles (Califórnia), intitulou a obra "Make America Great Again" ("Tornar Novamente a América Grande"), tal como o 'slogan' do milionário norte-americano, e tem sido alvo de ameaças de morte e de intimidações por parte de simpatizantes do pré-candidato republicano à Casa Branca.

O quadro está exposto na Maddox Gallery, em Londres, e mostra o aspirante à presidência dos Estados Unidos num nu integral, de acordo com o que o autor imagina ser.

A obra, segundo o autor, de 24 anos, visa "provocar uma reflexão, boa ou má, sobre a importância que se dá à aparência física".

Polémica, a obra foi proibida de ser exposta nos Estados Unidos, onde Illma Gore disse ter recebido "mil ameaças de morte por parte de simpatizantes de Trump".

Por outro lado, o quadro foi, entretanto, banido de algumas redes sociais.

Illma Gore encontrou, assim, "refúgio" na galeria de arte londrina, onde o quadro está à venda por um milhão de libras (quase 1,3 milhões de euros).

"Parece que o Reino Unido tem um verdadeiro gosto pela arte e cultura suficiente para reconhecer a ideia que está subjacente ao quadro", disse Illma Gore.

Por sua vez, o diretor da galeria, James Nicholls, qualificou a obra como uma de "contestação e interessante".

"Alguns poderão ofender-se mas outros verão humor no trabalho de Gore. A Maddox Gallery oferece a cada um a possibilidade de ver o original", acrescentou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG