Prémio é uma "notícia excelente" para o cinema português

O realizador Pedro Pinho, premiado com o filme "A Fábrica do Nada", deixa um aviso: "Este tipo de cinema precisa de ser estimulado e apoiado" porque tem "uma vitalidade enorme".

O realizador Pedro Pinho afirmou hoje que o prémio internacional atribuído ao filme A Fábrica de Nada é uma "notícia excelente" para o cinema português" e uma prova que este tipo de cinema precisa de ser "estimulado e apoiado".

O realizador Pedro Pinho falava à agência Lusa após vencer hoje o prémio FIPRESCI, da Federação Internacional de Críticos de Cinema, pelo filme A Fábrica de Nada, estreado na Quinzena de Realizadores, em Cannes, França.

Na opinião do realizador, este prémio, além de dar visibilidade à sua película, é uma "notícia excelente para o cinema português e uma prova que este tipo de cinema - que neste momento está sob forte ameaça graças à lei do Cinema, à composição da Secção Especializada do Cinema e do Audiovisual (SECA) e à questão da escolha dos júris da SECA - precisa de ser estimulado e apoiado", porque tem uma "vitalidade enorme". Considerou também que este reconhecimento internacional obtido em Cannes é "absolutamente excecional para um país tão pequeno e com tão pouca produção de filmes".

Nas palavras de Pedro Pinho, a A Fábrica de Nada é um filme que propõe uma "reflexão crítica sobre o estado do mundo no período vivido nos últimos 5 ou 6 anos em Portugal", sendo, portanto, um "filme eminentemente político".

Questionado sobre projetos para o futuro, o realizador adiantou que está a escrever um argumento que conta finalizar em Junho, estando no horizonte um projeto de longa-metragem e ficção, em que o tema é "uma história de amor". "Outra, mais uma vez", acrescentou.

A Fábrica de Nada teve a primeira exibição na Quinzena dos Realizadores, secção paralela do Festival de Cannes, na quinta-feira, e o anúncio foi feito hoje, pelo júri, presidido pela crítica Alissa Simon, da Variety norte-americana.

O filme, interpretado por atores e não atores, segue a vida de um grupo de operários que tentam segurar os postos de trabalho, através de uma solução de autogestão coletiva, e evitar, assim, o encerramento de uma fábrica.

O Júri FIPRESCI de Cannes atribui três prémios: dois na Selecção Oficial - um para a Competição e outro para Un Certain Regard - e um terceiro para a Semana da Crítica ou para a Quinzena dos Realizadores. Pedro Pinho venceu o Prémio da Quinzena dos Realizadores. Os prémios da competição oficial do Festival de Cannes serão conhecidos no domingo, no encerramento do festival.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG