Orquestra Gulbenkian fecha digressão brasileira no Rio de Janeiro

O centenário Theatro Municipal do Rio de Janeiro encerrou a digressão de quatro concertos da Orquestra Gulbenkian, na quarta-feira

Cadeiras de veludo vermelho, dourados e mármores. No teatro de inspiração italiana inaugurado em 1909 no Rio de Janeiro, a Orquestra Gulbenkian, dirigida por Lawrence Foster fez o seu último concerto desta digressão. Na sala, com 2 mil lugares, sobraram poucos lugares livres.

A orquestra tocou a sinfonia inacabada de Schubert, concerto para violoncelo de Edouard Lalo, com o solista convidado António Meneses, e a Sinfonia n.º 8 de Antonin Dvorak.

Antes do concerto, o maestro convidado, Lawrence Foster, explicava ao DN que se estava na presença de uma sala com "uma acústica mais seca". "Numa acústica mais seca temos tendência a ir mais rápido", notava. "Ouve-se tudo". Era o caso da sala do Rio de Janeiro, com um palco que permitia um contacto mais próximo com os espectadores.

Este foi o último concerto de António Meneses, brasileiro de Recife a viver na Europa, com a Orquestra Gulbenkian, por ora. O violoncelista era uma carta forte no programa que a orquestra levou ao Brasil e a razão por que Henrique e Inês Andrade Figueira, habitués da sala, quiseram ir ver o concerto de quarta-feira. Foi a primeira vez que viram a orquestra oriunda de Portugal, que Henrique só conhecia de gravações.

O concerto foi organizado pela Dell'Arte, um programador que fez uma série de 8 concertos de música clássica no Theatro Municipal., fundado pela pianista brasileira Myrian Dauelsberg.

A orquestra tinha-se apresentado pela última vez no Rio de Janeiro, em 1995, numa digressão que também passou por Curitiba, Montevideo e Buenos Aires.

A apresentação de quarta-feira foi a quarta em terras brasileiras. A Orquestra Gulbenkian atuou no Parque Ibirapuera e, por duas vezes, na Sala São Paulo, casa habitual da Orquestra do Estado de São Paulo.

A orquestra, de regresso a Portugal, começará na próxima semana a trabalhar no programa que apresentará na quinta e sexta-feira. Conduzia por Benjamin Shwartz, tocam o concerto para piano e orquestra n.º 20 e a sinfonia n.º 4 de Gustav Mahler. Sunhae Im é a soprano convidada.

A jornalista viajou a convite da Orquestra Gulbenkian

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG