Nu de Modigliani foi vendido por 160 milhões de euros. É um recorde

É o quadro de um italiano mais caro de sempre. Foi a leilão na segunda-feira e vai para a China.

O comprador chinês, não identificado, pagou 170,4 milhões de dólares (158 milhões de euros) por "Nu Couché" (1917-1918), o segundo valor mais alto de sempre conseguido num leilão.

O recorde é detido por "Les Femmes d' Alger", de Pablo Picasso, vendido em maio pela Christie's por 166 milhões de euros.

Meia dúzia de interessados fizeram as suas propostas durante os nove minutos que durou a venda do quadro, em Nova Iorque. As licitações começaram nos 75 milhões de dólares. A Christie's fica com 12% dos 158 milhões de euros finais, de acordo a Reuters. A leiloeira acreditava que o quadro podia chegar aos 100 milhões de dólares.

Quando foi mostrado pela primeira vez pelo pintor, em Paris, houve manifestações à porta da galeria. A polícia encerrou a exposição.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.