A noite em que Caetano e Gil dançaram com a lua

Eles vieram da Bahia e por uma noite voltaram lá, para cantar como poucos o jeito que a Bahia tem. Duas vozes e dois violões, muitas vezes só um violão e uma voz só, dançaram com as palavras.

Duas vozes e dois violões, muitas vezes só um violão e uma voz só, encheram esta sexta-feira à noite o estádio do Parque dos Poetas, em Oeiras, onde Caetano Veloso e Gilberto Gil se celebraram em "Dois Amigos, Um Século de Música".

Num concerto em que o vento passou pelas trovas de um e outro, Caetano e Gil seguiram imperturbáveis - ao vento, ao murmúrio constante de um público que, por vezes, parecia mais preocupado em contar as férias ou as fotos do facebook. Eles vieram da Bahia e por uma noite voltaram lá, para cantar como poucos o jeito que a Bahia tem.

Já ia o concerto na sua hora, quando Gilberto Gil fez do violão percussão e a voz foi o instrumento que soou mais alto - "Não tenho medo da morte mas sim medo de morrer". E de um público quase fácil de convencer, que reagia quase instintivamente ao repertório, finalmente veio o arrebatamento. Aplausos de pé, e soltos Caetano e Gilberto em palco, ouvindo-se, respirando palavras e acordes de um e outro, numa cumplicidade de vozes e gestos. Dois amigos que não ficam pela metade.

Ao recolhimento que pedia a canção Não Tenho Medo da Morte, Gil espanta uma plateia que, por fim, se concentra na música. E dança e acompanha o alinhamento que se segue até ao final, mesmo nas canções menos óbvias. Logo depois Gilberto pede "canta Lisboa" em Se Eu Quiser Falar Com Deus, Lisboa canta, como em palco um e outro pegam nas músicas de um e outro e fazem-nas suas.

À vez, a quatro mãos. Se a fé não costuma falhar, palavra de canção, a dança essa é certeira: o palco despojado, Caetano e Gil, um de preto, o outro de branco, ocupam os tempos com os corpos em movimento. É Caetano quem começa por se levantar a puxar passos de um jeito seu, é Gilberto quem deixará, já no tema final do encore, A Luz de Tieta, o palco a dançar. A Bahia tem um jeito, ouviu-se em Terra. Estes dois têm jeito - de fazer a lua azul dançar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG