Museu Guggenheim vai instalar uma sanita de ouro

A peça, chamada 'America' marca o regresso do artista italiano Maurizio Cattelan, que diz que esta só ficará completa quando for usada

É uma estrela da arte contemporânea e tinha anunciado a reforma em 2001, mas cinco anos depois o italiano Maurizio Cattelan regressa com uma obra que, como é habitual com os seus trabalhos, está a dar que falar: uma réplica de uma sanita em ouro de 18 quilates, que vai expor no Museu Guggenheim de Nova Iorque.

O Guggenheim anunciou a apresentação para o início do mês, mas teve de adiá-la devido a "problemas técnicos", noticiou o New York Times. É que o objetivo de Cattelan é que esta seja usada, ou seja, o artista considera que a obra só ficará completa quando cumprir a sua função, o que levanta problemas logísticos - nomeadamente de construção da valiosa sanita.

A peça será instalada numa casa de banho do museu e um porta-voz da instituição garante que esta não é outra partida de Cattelan, conhecido com um provocador.

Cattelan anunciou que ia deixar de trabalhar em 2011, aos 51 anos, como um dos mais valiosos artistas contemporâneos e com direito a uma retrospetiva no Guggenheim - que o descreve como um "provocador, especialista em pregar partidas, e um poeta trágico dos nossos tempos" e lembra que este "criou algumas das imagens mais memoráveis na arte contemporânea recente".

Na altura em que anunciou a reforma, Cattelan argumentou que estava esgotado, cansado da velocidade do mundo das artes, alimentada por um mercado milionário.

Regressa com uma obra chamada "Maurizio Cattelan: "America"" que é um piscar de olhos a Duchamp e que pode ser vista também como uma crítica às desigualdades económicas. Questionado sobre isso, Cattelan lembra que cresceu pobre e foi forçado a refletir sobre o tema. "Não me cabe a mim dizer às pessoas o que um trabalho significa. Mas acho que as pessoas podem encontrar significado nesta peça", disse, citado pelo New York Times. "Há o risco de as pessoas pensarem que é uma piada, talvez, mas não a vejo assim", acrescentou.

Nem o Guggenheim, nem o artista revelam o custo da peça. Não há data prevista, atualmente, para a apresentação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG