Monstros, carros e piratas entre os títulos a estrear durante o próximo ano

Filmes para 2017 talvez não superem o record de receitas deste ano, mas fracasso é palavra que não entra neste estúdio

Depois do melhor ano de sempre, a Disney chega a 2017 com desafios fortes, sobretudo porque é o ano da Warner tentar perceber se tem um filão à la Marvel com Justice League, o filme que reúne todos os heróis da DC Comics. O poderio do estúdio do Rato Mickey é tão forte que os outros estúdios tiveram de reagir. A Universal, que em 2015 reinou, investiu tudo no próximo Fast and the Furious, The Fate of the Furious, com Charlize Theron.

Mas os desígnios futuros da Walt Disney estão indissociavelmente ligados à Marvel. Sem os filmes de super-heróis os lucros seriam outros. A bonança Marvel mudou o jogo de Hollywood, o tal game-changer que mudou também a maneira ruidosa da construção dos espetáculos de cinema global. Os blockbusters ficaram então mais ruidosos e dependentes da lógica do aparato do efeito visual (salvo raras exceções, com argumentos muito infantis e a pender para a exaltação da destruição).

Outra das tendências da Disney em 2017 vai ser prosseguir a política da passagem à imagem real de clássicos da animação. Pois bem, depois do sucesso inacreditável de O Livro da Selva, é a vez de Bill Condon tentar encontrar a magia de A Bela e o Monstro, com Emma Watson, Dan Stevens e uma série de estrelas a fazer as vozes de chávenas e candeeiros com vida. Uma faustosa produção que parece recriar uma ideia de cinema de estúdio e com valores cenográficos. Estreia no mundo inteiro em março.

No mês seguinte é tempo de Guardiões da Galáxia 2, de James Gunn, a sequela para o melhor filme da Marvel. Uma comédia de ficção-científica onde se brincava com fórmulas de cultura pop. Nesta continuação, a grande novidade é o tronco Baby Groot, filho do falecido Groot e de novo com Vin Diesel nos dotes vocais. Será certamente um fenómeno ainda maior que o original, sobretudo em Portugal onde poucos realmente perceberam a qualidade do filme...

Se o mundo estava a precisar de mais Piratas das Caraíbas, ninguém sabe, mas a Disney aposta forte num dos seus maiores tesouros, desta vez apenas com Johnny Depp e sem os habituais Keira Knightley e Orlando Bloom. Chama-se Homens Mortos não Contam Histórias e é realizado pela dupla de Kon Tiki - A Viagem Impossível, Espen Sandberg e Joachim Ronning. Estreia-se no verão.

Para junho, o maior risco deste lote de títulos, Carros 3, a continuação da animação que chegou a deslumbrar no primeiro capítulo e que desiludiu no segundo. Ficamos mais apreensivos por nem ser John Lasseter o realizador, mas sim o estreante Brian Fee. Convém lembrar que a Pixar não se costuma enganar, mesmo, como agora, parece seguir o filão comercial mais oportunista... A boa notícia é que o carro Lightning McQueen continua, na versão original, a ter a voz de Owen Wilson.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG