Leilão de obras de arte de David Bowie bate recordes

O primeiro dos três lotes da coleção privada de arte de David Bowie atingiu 24,3 milhões de libras (27,9 milhões de euros), mais do dobro do esperado pela londrina Sotheby's, na quinta-feira.

765 pessoas registaram-se para tentarem comprar uma das 47 peças da coleção privada do músico britânico que na quinta-feira à noite foram a leilão em Londres, o primeiro lote de três que a Sotheby's leva à praça até hoje, num total de 300 peças que David Bowie foi colecionando ao longo dos anos.

Head of Gerda Boehm (1965), de Frank Auerbach (n. 1931), foi a obra que gerou mais com competição. Segundo informação da leiloeira, o quadro, que retrata uma prima do artista e que foi exibido em público pela última vez em 2001, na Royal Academy, por empréstimo de Bowie, protagonizou uma batalha de dez minutos, entre oito licitadores, acabando por ser estabelecido um novo recorde para o o artista britânico.

A pintura, que a Sotheby's estimava vender por 500 mil libras 575 mil euros, acabou por ser arrematada por 3,8 milhões de libras (4,3 milhões de euros). A ligação do músico ao quadro, sobre o qual afirmou "My God, yeah! I want to sound like that looks", animou a licitação daquela que acabou por ser a segunda peça mais cara de entre as 47 deste primeiro lote a leilão.

No entanto, o artigo a atingir maior valor foi Air Power (1984) de Jean-Michel Basquiat, rematado por um dos 102 licitadores presentes na sala londrina por 7,09 milhões de libras (8,2 milhões de euros), superando as expectativas, que apontavam valores entre 2,5 e 3,5 milhões de libras (2,9 a 4,1 milhões de euros).

Bowie comprou esta pintura, que mostra rostos agressivos sobre um fundo em vermelho intenso e diferentes tons de castanho, um ano depois de protagonizar o filme Basquiat (1996), no qual interpretou o artista da pop art Andy Warhol.

De Basquiat - que morreu de overdose em 1988, aos 27 anos - foi ainda leiloado um outro quadro, Untitled (1984), disputado por cinco licitadores, e cuja base de licitação foi logo de um milhão de libras (quando as melhores expectativas da Sothebys apontavam para as 700 mil libras, pouco mais de 800 mil euros), acabando o martelo por cair às 2,4 milhões de libras (2,7 milhões de euros).

As 47 obras a leilão foram todas vendidas por um total de 24,3 milhões de libras (27,9 milhões de euros), mais do que duplicando as previsões da leiloeira, fixadas nas 8,1 milhões de libras.

A venda acabou por estabelecer um total de onze recordes para artistas britânicos do século XX e ainda para a suíça Meret Oppenheim.

Três obras de Damien Hirst (n. 1965) foram também vendidas na quinta-feira, incluindo um trabalho - Beautiful, hallo, space-boy painting - realizado em 1995 com a colaboração de Bowie, a alcançar o valor de 785 mil libras (904 milhões de euros).

David Bowie morreu a 10 de janeiro, em Nova Iorque, vítima de cancro, dois dias após lançar o seu derradeiro álbum, Blackstar, gravado quando já se encontrava doente.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG