Joana Vasconcelos expõe no Thyssen até janeiro

A sua peça Strangers in The Night estará a partir de quinta-feira em Madrid. A espanhola Agatha Ruiz de la Prada chama-lhe "uma das duas ou três melhores artistas mulheres"

"É um momento importante, porque, apesar de já ter feito muitas exposições em Espanha - de ter começado toda a minha carreira aqui, numa galeria espanhola e com um grupo de artistas espanhóis - estar aqui na Thyssen é um orgulho", disse esta quarta-feira à agência Lusa a artista portuguesa.

A peça Strangers in The Night (2000), uma instalação em forma de um enorme trono com luzes e faróis de automóveis e táxis, ao som da música de Frank Sinatra, fica exposto no Museu Thyssen, em Madrid, a partir desta quinta-feira e até 24 de janeiro, no âmbito da 13.ª Mostra Portuguesa, uma iniciativa da embaixada de Portugal na capital espanhola.

"Temos um programa de obras convidadas e cada temporada trazemos uma obra de um museu e instalamo-la nas nossas coleções, para que o público veja uma obra de outro museu, mas no nosso contexto", explicou à Lusa Guillermo Solana, diretor artístico do museu madrileno.

"Normalmente não o fazemos com obras de artistas vivos, mas, quando a embaixada de Portugal nos perguntou se queríamos unir-nos à 13.ª Mostra Portuguesa aqui em Madrid, podia ter pensado numa obra do Museu de Arte Antiga, mas imediatamente pensei na Joana Vasconcelos", salientou.

Guillermo Solana explicou que a peça de Joana Vasconcelos "assenta que nem uma luva" na sala da Pop Art, apesar de ser "um passo além".

Agora ao lado de grandes nomes da arte mundial no Thyssen, Joana Vasconcelos disse que é "um enorme prazer e uma grande honra poder contracenar com elas".

Sobre Strangers in the Night, Joana Vasconcelos diz que é uma obra que "fala muito da forma como nós olhamos para o nosso presente e de que maneira queremos alterar o nosso presente".

"A obra fala da prostituição, da maneira como estas mulheres são tratadas e como existem na nossa sociedade, como são esquecidas e abandonadas à beira de uma estrada. Tem a ver com os direitos humanos, com os direitos das mulheres e no dia da Igualdade de Género - que é hoje - é importante poder falar deste tema", afirmou a artista.

Guillermo Solana, por seu lado, enalteceu o percurso da artista portuguesa.

"A Joana é uma artista que absolutamente sobressai na arte internacional, com uma energia enorme. É um privilégio tê-la aqui. É uma grande estrela da arte internacional", concluiu.

O elogio de Agatha Ruiz de la Prada

A designer espanhola Agatha Ruiz de la Prada considerou esta quarta-feira que Joana Vasconcelos "é uma das duas ou três melhores artistas mulheres do planeta".

"Considero que Joana Vasconcelos é uma das duas ou três melhores artistas mulheres do planeta, senão mesmo a melhor. Sou super fã", disse a designer espanhola, que hoje esteve na apresentação da obra Strangers in The Night no Museu Thyssen de Madrid.

"É uma peça maravilhosa. Encanta-me. Já conhecia os seus trabalhos com tecidos e a primeira vez que vi uma obra sua foi em Veneza. Mas nunca tinha visto algo assim. É sensacional", disse a espanhola, que conheceu e se tornou amiga de Joana Vasconcelos, numa festa no Estoril, no ano passado.

Agatha Ruiz de la Prada revelou que a artista portuguesa visita na quinta-feira o seu ateliê em Madrid, mas foi mais cautelosa quanto a possíveis colaborações de trabalho entre as duas.

"De momento estou a fazer-lhe um vestido, e não poderia ficar mais encantada com qualquer tipo de colaboração", disse a designer.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG