Já está online uma música do primeiro álbum pós Nobel da Literatura

O artista, que mandou Patti Smith em seu lugar a Estocolmo, está prestes a colocar Triplicate no mercado. Três CD sem uma única música original.

No seu site oficial, Bob Dylan, que recusou no ano passado ir à Suécia receber o prémio Nobel da Literatura, já colocou online uma primeira faixa do álbum, I could have told you. Trata-se da sua primeira produção musical desde que o Nobel lhe foi atribuído (outubro de 2016). O seu último álbum, Fallen Angels, datava de maio de 2016.

I could have told you é um original composto por Bernie Waters para o álbum No One Cares, de Frank Sinatra, lançado em 1959.

I could have told you

I could have told you
She'd hurt you
She'd love you a while
Then desert you
If only you asked
I could have told you so

I could have saved you
Some crying
Yes I could have told you she's lying
But you were in love
And didn't want to know

I hear her now
As I toss and turn and try to sleep
I hear her now
Making promises she'll never keep

And soon it's over
And done with
She'll find someone new to have fun with
Through all of my tears
I could have told you so

I hear her now
As I toss and turn and try to sleep
I hear her now
Making promises
She'll never keep
And soon it's over
And done with
She'll find someone new to have fun with
Through all of my tears
I could have told you so

O álbum Triplicate - que chegará na íntegra ao mercado no próximo dia 31 - é apresentado como uma homenagem a grandes compositores norte-americanos, como Charles Strouse e Lee Adams (Once upon a time),, Harold Arlen e Ted Koehler (Stormy weather), Harold Hupfield (As time goes by), além de Cy Coleman e Carolyn Leigh (The best is yet to come). Nunca antes o autor editara um triplo álbum.

Bob Dylan recusou ir a Estocolmo receber o Nobel da Literatura mas não deixou de agradecer. No banquete da cerimónia de entrega do prémio, a embaixadora dos EUA na Suécia leu uma mensagem que o compositor mandou. Dylan disse estar para "além das palavras" constar agora numa galeria onde estão potentados da literatura como Thomas Mann, Albert Camus ou Ernest Hemingway. E confessou: "Nunca tive tempo de perguntar a mim mesmo, 'Serão as minhas músicas literatura?'".

Em duas palavras justificou a sua ausência da cerimónia: "Outros compromissos".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG