Quadros de Van Gogh e Picasso vão a leilão na terça-feira

Prevê-se que dois dos quadros mais emblemáticos a leilão alcancem valores entre os 29 e os 56 milhões de euros

O quadro de Vincent Van Gogh "Vue de l'asile et de la Chapelle de Saint-Rémy" e um autorretrato de Picasso vão a leilão na terça-feira, em Nova Iorque, com estimativas de 29 e 56 milhões de euros, respetivamente.

De acordo com a leiloeira Christie's, a tela de Vincent Van Gogh (1853--1890) será uma das peças em destaque no leilão de Pintura Moderna e Impressionista que se vai realizar nesse dia, a par de um raro autorretrato de Pablo Picasso (1881---1973), intitulado "Le Marin".

A obra de Van Gogh foi pintada durante o período em que o artista estava internado no asilo de Saint Paul de Mausole, em Saint-Rémy, onde estava autorizado a continuar a pintar.

Este foi o único quadro que Vincent van Gogh pintou no exterior do asilo, no outono de 1889, e mostra a capela românica do século XII e a paisagem em redor.

O galerista alemão Paul Cassirer comprou o quadro à viúva do irmão do artista, Theo Van Gogh, e o quadro foi depois adquirido por Francis Taylor para a filha, a atriz Elizabeth Taylor, que na altura estava para lançar o filme "Cleópatra".

A atriz acabou por ficar com o quadro exposto na sala da sua casa durante cerca de 50 anos, até à sua morte, em 2011. Na altura a obra foi vendida, e agora vai novamente a leilão.

Quanto ao quadro de Picasso, foi pintado em 1943 quando o pintor espanhol vivia em Paris, cidade então ocupada por tropas alemãs.

O quadro esteve exposto no Fine Arts Museum, em São Francisco, entre outubro de 1998 e janeiro de 1999, na exposição "Picasso and The War: 1937-1945".

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.