Grammy aumentam número de nomeados nas categorias principais

Os prémios de música Grammy vão ter um aumento do número de nomeados, nas suas categorias principais, passando de cinco a oito artistas

A partir de 2019 as gravação do ano, álbum do ano, música do ano e melhor artista jovem vão ter mais nomeados, permanecendo as restantes 80 categorias com as cinco nomeações tradicionais, anunciou a Recording Academy.

"A modificação reflete mais de perto o grande número de candidatos [possíveis] nessas categorias, e permitirá maior flexibilidade na votação para os melhores do ano", disse a instituição, no comunicado enviado hoje aos seus membros.

A imprensa especializada, como a Billboard, que avançou o comunicado da academia, sustenta, no entanto, que a decisão tem a ver com a controvérsia sobre o pequeno número de mulheres nomeadas na última edição dos Grammy.

Entre os nomeados nas principais categorias estavam nomes como os de Jay-Z, Kendrick Lamar, Bruno Mars, Childish Gambino, Khalid, SZA e No ID, produtor de Jay-Z, tendo sido notado o menor número de nomes femininos, nos candidatos aos prémios da indústria musical, entregues no passado mês de janeiro.

Na altura, em resposta às críticas, o presidente da academia, Neil Portnow, disse que as mulheres precisavam de "dar um passo em frente", afirmação de que se retratou de imediato, em fevereiro.

"Depois de ouvir muitos amigos e colegas, percebo os danos causados pela minha má escolha de palavras, após a última edição do Grammy", disse então Portnow.

Na altura, dirigente da Recording Academy também anunciou a constituição de um grupo de trabalho para rever todos os aspectos da instituição, relacionados com "o progresso das mulheres na comunidade musical".

"Colocar-nos-emos sob o microscópio e lidaremos com qualquer verdade revelada", disse na altura Neil Portnow, em declarações recordadas agora pelas agências de notícias.

Um estudo publicado este ano pela Universidade do Sul da Califórnia (USC) disse que, de 2013 a 2018, apenas 9,3% das indicações aos Grammy foram para mulheres, enquanto as restantes 90,7% foram para homens.

A alteração aos Grammy verificam-se 60 anos depois da primeira cerimónia de entrega dos prémios, realizada em 1959, relativa às edições discográficas do ano anterior.

Em 2009, a Academia de Hollywood, das artes e ciências cinematográficas, duplicou o número de nomeações para o Óscar de Melhor Filme de cinco para dez.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

"Corta!", dizem os Diáconos Remédios da vida

É muito irónico Plácido Domingo já não cantar a 6 de setembro na Ópera de São Francisco. Nove mulheres, todas adultas, todas livres, acusaram-no agora de assédios antigos, quando já elas eram todas maiores e livres. Não houve nenhuma acusação, nem judicial nem policial, só uma afirmação em tom de denúncia. O tenor lançou-lhes o seu maior charme, a voz, acrescida de ter acontecido quando ele era mais magro e ter menos cãs na barba - só isso, e que já é muito (e digo de longe, ouvido e visto da plateia) -, lançou, foi aceite por umas senhoras, recusado por outras, mas agora com todas a revelar ter havido em cada caso uma pressão por parte dele. O âmago do assunto é no fundo uma das constantes, a maior delas, daquilo que as óperas falam: o amor (em todas as suas vertentes).

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?