Portugal ficou em último lugar, mas não é caso inédito na história

Os 39 pontos recolhidos pela canção de Cláudia Pascoal e Isaura não chegaram para mais do que a última posição, mas a Áustria ficou com zero pontos no ano em que recebeu a Eurovisão e há um ano a Ucrânia ficou em 24º

Portugal não foi além dos 39 pontos na votação da final de sábado, ficando em último lugar, mas casos em que o anfitrião não se destaca existem e não é preciso fazer arqueologia da Eurovisão para os encontrar. Em 2015, em Viena, a canção austríaca - I Am Yours, de The Makemakers - ficou em último lugar com zero pontos, ex-aequo com a Alemanha (Black Smoke, de Ann Sophie). E há um ano, em Kiev, a Ucrânia ficou em penúltimo, mas com... 36 pontos.

Os resultados mostram que o televoto para O Jardim, a canção escrita por Isaura e interpretada por Cláudia Pascoal, cativou votos apenas em dois países, Suíça e França (10 e 8 pontos, respetivamente), segundoa Eurovisão.

Dos 42 países que podiam ter premiado Cláudia Pascoal e Isaura apenas cinco o fizeram: Lituânia (7 pontos), Irlanda (6), Suíça e Estónia (3) e a Holanda (2).

Anfitriões ou não, esta não foi a primeira vez que Portugal ficou em último. Aconteceu em 1997 com Célia Lawson, que obteve zero pontos, e com Paulo de Carvalho, em 1974, que recebeu 3 pontos por uma canção que se tornaria senha do 25 de Abril, E Depois do Adeus. E desde que foram introduzidas as semifinais, em 2004, ficámos de fora sempre, exceto em 2008, 2009, 2010 e 2017.

"Tínhamos uma das melhores canções a concurso, mas não há receitas. Há questões de contexto: tivémos uma das melhores edições, nunca houve tanta diversidade e tantos candidatos a uma vitória", explicou na RTP Nuno Galopim, surpervisor criativo da Eurovisão e comentador . "A nossa canção traduzia a modernidade da pop portuguesa".

No Instagram, Cláudia Pascoal agradeceu o apoio. "É tão bom saber que, apesar do resultado de ontem, vocês continuam a apoiar a bonita canção da Isaura. Como a minha vida mudou... (...) Posso só garantir-vos que dei o meu máximo", escreveu.

Isaura usou a mesma rede social. "Não tenho palavras para o carinho que me estão a enviar. Muito obrigada por toda a amizade. Estou mesmo feliz por ter tido a oportunidade de viver esta experiência, ter podido escutar uma canção tão importante para mim cantada pela bonita voz da Cláudia Pascoal e por me ter visto entre os abraços de uma equipa tão dedicada", escreveu. "

A contagem do televoto em Portugal atribuiu um ponto a Israel e cinco ao Chipre. Os restantes foram distribuídos por Espanha (12 pontos), Itália (10), Alemanha (8), Estónia (7), Moldávia (6), Chipre (5), Ucrânia (4), Irlanda (3), Dinamarca (2) e Israel (1).

Ou seja, se dependesse de Portugal, Netta teria sido ultrapassada por Eleni Foureira, que se arrisca a conseguir com Fuego o que Cliff Richard alcançou em 1968 com Congratulations: um êxito, apesar do 2.º lugar.. Via Twitter, cumprimentou a vencedora. "Obrigada Europa pelo vosso amor. Parabéns, minha amiga Netta".

A cantora israelita chegou a Lisboa como favorita das casas de apostas para suceder a Salvador Sobral, mas a grega que representou o Chipre começou a destacar-se após o primeiro ensaio no palco da Altice Arena. E passou para a frente após a primeira semifinal. No sábado, os palpites para os primeiros cinco lugares estavam alinhados assim: Chipre, Israel, Alemanha, Irlanda e Estónia. A realidade é esta: Israel, Chipre, Áustria, Alemanha e Itália.

A votação dos 43 países foi dispersa, mas a canção da Áustria sobressaiu: 34 países pontuaram Cesár Sampson e Nobody but You. Recebeu 12 pontos de nove países. Portugal deu 8 pontos e guardou a pontuação máxima para a Estónia. O júri nacional era composto por músicos que participaram no Festival da Canção: Armando Teixeira, Daniela Onis, Anabela, Benjamin e Peu Madureira.

Na edição deste ano da Eurovisão , um antigo vencedor tentou a sua sorte de novo: Alexander Rybak, da Noruega, vencedor em 2009 em Moscovo. Ficou no 15.º lugar com That"s How you Write a Song.

Waylon, da Holanda, também não conseguiu igualar o segundo lugar de 2014, em Copenhaga. Outlaw in"Em ficou em 18.º lugar, e deixou a Altice Arena com críticas à vencedora, captadas pelas televisões do seu país. "Israel é o justo vencedor se falarmos do que falamos sempre: circo e loucura. Mas o que acabo de dizer não fará nada pela mudança na Eurovisão. E isso é o que me parece triste. Alguma coisa devia mudar um dia, Da última vez foi uma mulher com uma barba, agora foi uma galinha."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.