Morreu o realizador polaco Andrzej Zulawski

O seu último filme, "Cosmos", estreou no ano passado. Tinha 75 anos.

Nascido na parte polaca que, no final da Segunda Guerra Mundial, foi integrada na União Soviética (hoje, na Ucrânia), Zulawski foi muito novo viver para França, onde em 1957 concluiu o curso de cinema do IDHEC em Paris.

Na década de 1960, foi assistente do realizador polaco Andrzej Wajda e, em 1971, realizou o seu primeiro filme. No ano seguinte, o segundo filme, Diabel, foi proibido na Polónia, e Zulawski mudou-se então definitivamente para França. Após o sucesso do seu primeiro filme francês L'important c'est d'aimer (O Importante é Amar), em 1975, a que se seguiu Possessão (1981), com Isabel Adjani, só regressou à Polónia na segunda metade da década de oitenta, onde passou dois anos fazendo Na srebrnym globie (1987) - On the Silver Globe, que foi exibido em Portugal no festival Fantasporto. O trabalho neste filme foi brutalmente interrompido pelas autoridades. Após este acontecimento, Zulawski mudou-se novamente para França, onde se tornou conhecido pelos seus filmes extremamente artísticos, controversos e muito violentos.

Veja um excerto de Possessão:

Em 1989, realizou As Minhas Noites São Mais Belas que os Vossos Dias, com Sophie Marceau, Jacques Dutronc e Valérie Lagrange, e também fez Boris Godounov.

Veja uma cena de As Minhas Noites São Mais Belas que os Vossos Dias:

Andrzej Zulawski (à direita) com Paulo Branco (à esquerda) e Sophie Marceau (ao centro) na apresentção do filme "A Fidelidade", em outubro de 2000

Andrzej Zulawski foi casado com a atriz Sophie Marceau (1984-2001) com quem tem um filho e que filmou várias vezes, por exemplo em A Fidelidade (2000).

Ficou 15 anos sem realizar. No ano passado, estreou o seu último filme, Cosmos, co-produzido pelo português Paulo Branco, com quem já tinha trabalhado, e foi eleito pela revista americana Film Comment, publicação da Film Society of Lincoln Center, um dos melhores filmes do ano. Cosmos estreou em Portugal no Film & Estoril Film Festival.

Leia a crítica de Inês Lourenço a este filme:

Andrzej Zulawski morreu vítima de cancro, segundo noticia o jornal francês Le Monde.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.