"Meteors" vence o Porto/Post/Doc numa edição sem dores de crescimento

O filme sobre o conflito curdo-turco foi o grande vencedor de uma edição que registou um grande afluxo do público.

O júri internacional do festival Porto/ Post/ Doc deu a vitória a Meteors, um filme de Gürcan Keltek, co-produção entre Holanda e a Turquia. Um olhar sobre o conflito curdo-turco através da memória de uma chuva de meteoritos que durante algum tempo fez parar o conflito em 2015.

Meteors foi um dos muitos filmes da competição que nos abriu um olhar sobre o estado do mundo e a relação com o cinema e a memória. Aliás, o mote deste Porto/Post/Doc foi o cinema de arquivo e a pós-memória.

Para além do Grande Prémio, o júri fez questão de premiar o chinês Dragonfly Eyes, de Xu Bing, vencedor de uma menção honrosa. Um filme composto cem por cento com imagens de câmaras de vigilância.

O júri da secção Cinema Novo, composta de filmes feitos por jovens em escolas de cinema, atribuiu o galardão máximo a Proxima, de Gabriel Martinho e Igor Dimitri, da Argentina, tendo o português De Madrugada, de Inês de Lima Torres, arrecadado uma menção honrosa.

No que toca ao Prémio Biberstein Gusmão para autores emergentes, Taste of Cement, de Ziad Kalthoum, foi o escolhido.

Esta edição que termina este domingo ficou ainda marcada por três antestreias de filmes que não vão passar nas salas comerciais: The Beguiled, de Sofia Coppola; Voyage of Time; de Terrence Malick e An Inconvenient Sequel: Truth to the Power, de Bonni Cohen e Jon Shenk. Estes filmes, para quem não os viu no Rivoli, em breve vão estar disponíveis apenas em home cinema.

A quarta edição do Porto/Post/Doc foi marcada por muitas lotações esgotadas e um crescimento de um festival que cada vez mais se afirma como um dos grandes eventos de cinema em Portugal. O Porto/Post/Do 2018 já tem edição confirmada para o final de novembro próximo. Um festival sem dores de crescimento.

Ler mais

Exclusivos