Marcelo condecora Carlos do Carmo, que "enche a alma dos portugueses"

O fadista recebeu neste sábado o título de Grande-Oficial da Ordem do Mérito,

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou hoje o fadista Carlos do Carmo com o título de Grande-Oficial da Ordem do Mérito, sublinhando os méritos de um artista que "enche a alma dos portugueses".

Numa curta cerimónia tida esta tarde no Palácio de Belém, o chefe de Estado teceu rasgados elogios a Carlos do Carmo como cidadão e artista, e enalteceu o modo como leva Portugal lá fora.

O fadista, falando posteriormente aos jornalistas, reconheceu estar "muito feliz" com a distinção, mas asseverou que o título não o "envaidece", antes o responsabiliza. Carlos do Carmo teceu também elogios ao "consulado" de Marcelo Rebelo de Sousa em Belém, nomeadamente ao "reforçar da autoestima dos portugueses" por si potenciada.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.