4DX. O filme com fumo, água, cheiro e abanões

O DN foi à primeira sessão em Portugal desta nova forma de ver cinema. O filme-proveta é Batman vs. Super-Homem

Cuspidos, abanados, molhados e fumados. É assim que os espectadores ficaram na sessão de estreia da sala 4DX do NOS GaiaShop-ping, em Vila Nova de Gaia. O DN esteve presente na inauguração da primeira sala a quatro dimensões em Portugal e a sensação é de nova experiência. Trailers dos próximos filmes nesse sistema, pequenas amostras promocionais e a estreia de Batman vs. Super-Homem: O Despertar da Justiça, de Zack Snyder, fizeram parte do menu de abertura desta inovação no mercado de exibição nacional.

Depois do 3D, do IMAX, chega agora a vez da nova tecnologia coreana 4DX, uma tentativa de fazer que o espectador de cinema se sinta imerso num filme através de cheiros, abanos na cadeira, elementos como água, vento e outros truques sensoriais. Para o bem e para o mal, é trazer para a experiência do espectador algo de novo. As más-línguas vão dizer que é mais um golpe de feira, outros vão vibrar - literalmente - com a extravagância. A plateia que na quarta-feira encheu a sessão de arranque era composta por convidados VIP, figuras conhecidas e youtubers líderes de opinião teen e ninguém saiu da sessão indiferente. De alguma forma, a experiência remeteu para uma atração de parque temático. Obviamente, o futuro consumidor deste formato de exibição não pode enjoar facilmente ou não ter espírito de "aventura". Entre outras restrições (ver caixa).

Adrenalina pura

No trailer que vimos de Star Trek - Além do Universo, de Justin Lin, sentiu-se toda a pujança do 4DX: safanões para a direita, para a esquerda, travagem a fundo na cadeira movível e fumo, muito fumo que não perturba a visão dos óculos 3D. Mais do que Batman vs. Super-Homem, esta nova produção de J.J. Abrams está ainda mais pensada para os efeitos do 4DX. Nestes dois minutos de adrenalina pura, o corpo do espectador fica amassado. A plateia pioneira estava sorridente e perplexa: "Isto não é para meninos", ouvia-se numa fila atrás, bem como alguns suspiros e gritos de diversão.

Um novo desafio

Montanha-russa de cinema? O sistema desenvolvido pela empresa coreana de alta tecnologia CJ Group assume esse lado de pura diversão, mas é impossível não se pensar num novo ciclo de desafio ao espectador. O cinema como fonte sensorial pura e dura. É matéria para mil e um debates e ontem na internet o diretor do Festival CORTEx, José Chaíça, num post no Facebook, abominou a ideia: "Haverá coisa mais estúpida do que ver filmes em 4DX?! A sério... Imagens assustadoras de pessoas a ser quase cuspidas dos assentos, máquina de fumos na sala, cheiros? "
Em 2016 o negócio do cinema em sala tem de encontrar novas formas de atração. A nova geração de miúdos está cada vez vez mais a trocar as salas pelo jogos online e pelos filmes sacados de forma pirata da net. Esta sala tem um objetivo: trazê-los de volta e se possível em grupo. Luís Mota, o responsável pelas salas NOS, apelava no discurso da inauguração à importância de a miudagem voltar a ter vontade de regressar aos cinemas. O certo é que ontem já estavam esgotadas as primeiras sessões.

Nesta sala ninguém adormece

Mas claro que nem só de miúdos vai viver o 4DX. Luís Brito, 50 anos e coordenador de eventos corporate, à saída da sessão-teste aprovava o sistema: "Aquilo permite uma sensação orgásmica! Diria que é uma experiência sensual e que as senhoras vão gostar muito." Mário Augusto, da RTP, convidado para ser o mestre-de-cerimónias do evento, também estava fã da nova experiência: "Isto é um dos caminhos do futuro do cinema. O entretenimento está aqui, mas o complicado é comer pipocas com todos estes saltos. "

Uma coisa é certa, nesta sala ninguém adormece. O presidente da Câmara Municipal de Gaia, Eduardo Victor Rodrigues, confessou-nos como foi ser abanado na cadeira: "Percebi que a partir de agora perdemos a hipótese de namorar no cinema. Confesso, eu pagava os 12 euros do bilhete. Isto vale pela experiência, é muito inovadora."

A partir de agora este é o bilhete mais caro para se ver cinema em Portugal, ultrapassando os 10 euros dos cinemas IMAX. O 4DX chega à Grande Lisboa no dia 7 com 10 Cloverfield Lane, produção de J.J. Abrams, que recupera o conceito de Cloverfield. Segundo os responsáveis da NOS, a experiência será muito assustadora... A sala em questão, segundo o DN apurou, será nos cinemas NOS Fórum Almada, embora ainda não haja confirmação oficial.

A maioria dos grandes block-busters de Hollywood já chegam prontos para ser sincronizados neste formato e em 4DX vamos ver também o novo Star Trek e Capitão América: Guerra Civil. As majors de Hollywood estão a apostar nesta moda do abanão enquanto não chegam já para o ano as primeiras experiências de salas com ecrãs também laterais de 180 graus.

Ler mais

Exclusivos