Finalmente "O Grande Circo Místico"

A coprodução portuguesa, rodada em Portugal e falada em português, passa em sessão especial em Cannes

A 71.ª edição do Festival de Cannes tem uma coprodução portuguesa em sessão especial. Finalmente, está concluído O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues, com produção executiva da Fado Filmes, de Gonçalo e Luís Galvão Teles. O filme, falado em português e rodado integralmente em Portugal, tem um elenco de peso em que pontificam Vincent Cassel, Nuno Lopes, Albano Jerónimo e António Fagundes e música de Chico Buarque e Edu Lobo.

"O filme tem 70% do orçamento do Brasil, 20% nosso e 10% da França. Tivemos dois apoios do ICA e depois arranjámos financiamento para arranjar o resto. É preciso não esquecer que se trata de um orçamento razoavelmente substancial, de cerca de 40 milhões de euros. Uma produção de grande dimensão e que foi muito complicada", disse ontem ao DN Luís Galvão Teles, minutos depois de saber da seleção oficial nas sessões especiais.

O Grande Circo Místico é a história de uma família de artistas de circo durante mais de cem anos, um olhar para diversas gerações de artistas que atravessa o tempo e explora o fascínio circense. O filme foi rodado em 2015 e só agora ficou concluído, esperando Galvão Teles que Cannes possa ser uma rampa fulcral para as vendas internacionais. O produtor e realizador português ainda não tem data de estreia no nosso país, mas garante esperar um lançamento vasto: "É de facto um filme para o grande público."

As filmagens não puderam acontecer no Brasil devido às leis rígidas contra a utilização de animais de circo. Em Portugal, em março de 2015 chegaram mesmo a acontecer manifestações contra a rodagem do filme, mas Galvão Teles não aceita a polémica: "Em Portugal não só respeitámos a integridade física dos animais como os tratámos como animais domésticos."

Este épico será distribuído pela Vicicinema.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG