Filme de Paulo Rocha sobre Amadeo a partir de quinta-feira no Cinema Ideal

O filme "Máscara de aço contra abismo azul" sobre o artista plástico Amadeo de Souza-Cardoso, vai ser exibido a partir de quinta-feira, durante uma semana, no Cinema Ideal, em Lisboa

De acordo com a Midas Filmes, a longa-metragem, realizada em 1988, será exibida entre quinta-feira e quarta-feira, dia 22 de fevereiro, diariamente, às 19:45.

"Tentei filmar esse período da sua pintura com um estilo diferente, como se a câmara fosse um pincel na mão do próprio Amadeo, com a suas cores e as suas formas", escreveu o cineasta Paulo Rocha, sobre o documentário, num texto citado pela Midas.

O filme - criado por ocasião do centenário do nascimento de Amadeo de Souza-Cardoso, em 1988, e da exposição na Fundação Calouste Gulbenkian dedicada ao artista - estreou-se no Festival de Pesaro, em Itália, em 1989, após apresentação na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa, no ano anterior.

"Máscara de Aço" e "Abismo Azul" surgem no filme como símbolos do casal primordial que o realizador abordou em filmes como "A Ilha dos Amores", mas também personagens de banda desenhada criadas pelo próprio Amadeo, após o regresso a Portugal quando a Grande Guerra de 1914-1918 o afastava de Paris, recorda a Cinemateca Portuguesa.

Surgem no filme datas e factos concretos da vida pessoal de Amadeo, a família numerosa, a importância de Manhufe, a sua terra natal, a passagem por Lisboa, a partida para Paris, em 1906, as exposições na Europa e em Nova Iorque, os contactos e a amizade com o casal de artistas Robert e Sonia Delaunay, os contactos com o artista Santa-Rita e as correspondências com o escritor Teixeira de Pascoaes.

A longa-metragem foi digitalizada e restaurada pela Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, testamentária do cineasta Paulo Rocha (1935-2012), vai ser editada em DVD e, depois de uma semana em exibição no cinema Ideal, vai circular no resto do país.

Há trinta anos, o filme foi criado ao abrigo de um protocolo de coprodução entre a então Secretaria de Estado da Cultura e a Radiotelevisão Portuguesa.

De acordo com a Midas Filmes, a exibição desta obra cinematográfica "ganha maior relevância" depois da apresentação, no ano passado, no Museu Soares dos Reis, no Porto, da mostra "Amadeo de Souza-Cardoso/Porto Lisboa/2016-1916", com 81 obras, exposição que se encontra agora patente no Museu do Chiado, em Lisboa, até 26 de fevereiro.

Estas exposições evocam as duas realizadas há um século, pelo artista, respetivamente, no Porto, no Jardim Passos Manuel, de 01 a 12 de novembro de 1916, que provocou polémica, pela incompreensão do público em relação aos modernistas, e a segunda, em Lisboa, na Liga Naval Portuguesa, de 04 a 18 de dezembro.

Amadeo de Souza-Cardoso vivia em Paris, mas regressou a Portugal no início da I Guerra Mundial como um pintor reconhecido nos meios da vanguarda, tendo participado em exposições coletivas em Paris, Berlim, Nova Iorque, Chicago, Boston e Londres.

As duas exposições de 1916 foram as últimas feitas em vida do artista, que viria a morrer dois anos mais tarde, vítima da gripe espanhola, com apenas 31 anos.

Na sexta-feira, às 19:45, haverá uma sessão especial apresentada pela atriz Inês Medeiros, na presença de outros colaboradores de Paulo Rocha neste filme.

O DVD é uma co-edição Midas Filmes, Cinemateca Portuguesa -- Museu do Cinema, RTP Radio e Televisão de Portugal

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG