Festival PhotoEspãna faz da vigésima edição uma festa

Na edição que abre um ano de festejos, quiseram a fazer a festa. A edição XX do festival de fotografia PhotoEspaña arranca amanhã.

Esta é a 20:º edição do festival PhotoEspaña e, ao contrário do que aconteceu nos últimos anos, a organização, nas mãos de La Fábrica, editora e livraria, declinou escolher um tema. "É uma celebração e demo-nos ao luxo de não trabalhar um tema concreto. Não o vamos fazer de forma regular [sem tema], mas apetecia-nos [este ano]. Apetecia-nos uma festa".

Para lá da carta branca da Alberto García-Alix -- "muito especial para nós, segundo Maria García Yelo - outras exposições foram preparadas, fora desse âmbito. "Tentámos, mesmo sem tema, que a programação fosse equilibrada, que tenha sentido como um todo", afirma a diretora, à frente do festival há três edições.

Ao todo, 514 artistas integram o programa da PhotoEspaña 2017 espalhados por 62 espaços culturais, entre 31 de maio e 27 de agosto (algumas exposições continuam setembro adentro): 22 exposições do programa oficial decorrem na cidade de Madrid, as restantes espalham-se por outras cidades espanholas, como Alcalá de Henares e Alcobendas, nos subúrbios de Madrid, e também Lanzarote, Murcia, Segovia, Barcelona, Palma de Maiorca, Valencia e Tenerife. Sete espaços europeus em cidades como Berlim, Bratislava, Lausanne, Varsóvia) associam-se à PHE17, tal como Quioto, Pequim, Chicago e Buenos Aires.

Em ano de balanços, a organização da PhotoEspaña fez as contas: já fizeram mais de 1300 exposições, em 100 instituições diferentes e 400 empresas públicas e privadas.

Exclusivos