Faustin Linyekula já chegou: "Estou em casa"

O artista congolês estará em Lisboa até ao final do ano, no âmbito do programa Artista na Cidade

Catarina Vaz Pinto, vereadora da cultura da Câmara Municipal de Lisboa (CML), chamou-lhe "um evento muito singular", destacando que "não há muitas cidades onde isto possa acontecer". Apresentava a bienal Artista na Cidade que, na sua terceira edição, recebe a partir deste mês o coreógrafo e bailarino congolês Faustin Linyekula.

Depois de Anne Teresa de Keersmaeker e Tim Etchells, o coreógrafo irá interagir com instituições culturais da cidade de Lisboa, como o Centro Cultural de Belém, a Fundação Calouste Gulbenkian ou o Teatro Nacional D Maria II.

Afirmando que esta bienal "coloca Lisboa no centro da criação contemporânea", a secretária de Estado da Cultura, Isabel Botelho Leal, congratulou o artista cuja primeira peça desta bienal estreia no próximo dia 14 de janeiro no Teatro Camões, onde esta tarde decorreu a conferência de imprensa. Portrait Séries: I Solo é a coreografia que o congolês criou para o bailarino da Companhia Nacional de Bailado, Miguel Ramalho.

"Para lá das questões da forma, aquilo com que primeiramente estou preocupado é em contar histórias", afirmou o artista. É isso que tem dançado e encenado com o seu grupo, Studios Kabako, cujo reportório também será recuperado em Lisboa.

Presença regular nas salas de espetáculo, e recordando que as primeiras férias que teve foram passadas em Portugal, Linyekula rematou: "Estou em casa."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG