Fada Juju e a Festa dos Sentidos "são muitos sonhos num"

Personagens de livro, criadas pela cantora Paula Teixeira, saltam para o palco, derrubando preconceitos e obstáculos. Uma produção Plano 6, até dia 27, no Teatro da Trindade, em Lisboa

Fada Juju e a Festa dos Sentidos "são muitos sonhos num", segundo Paula Teixeira, protagonista da peça para crianças que está, até 27 de maio, no Teatro da Trindade, em Lisboa. O dela, que criou esta personagem, lhe deu vida em livro e a queria levar mais longe, e o de Tony Weaver, surdo na ficção e na vida real, que quer ser ator e tem aqui a sua primeira experiência profissional.

Esta é uma peça que fala de inclusão e que começa a praticá-la na produção. "Todas as técnicas [teatrais] foram adaptadas para aquela personagem [Gaspar] saber quando vai entrar ", conta a atriz e cantora.

O restante elenco - Daniel Cerca Santos, Filipa Duarte, Rebeca Reinaldo - já fala língua gestual e o público também sai a arranhar umas quantas frases. "Bom dia. Boa tarde. Boa noite. Obrigado. Até amanhã. As cores do arco-íris. Gosto muito de brincar contigo" são ditas com as mãos. "Não podem só ver, também têm de trabalhar", ri-se Paula Teixeira, acrescentando: "Mas eles adoram! No final já falam uns com os outros."

"Hoje estavam 50, 60 crianças surdas. Foi muito, muito mágico. Espetacular para nós e para eles, que estavam felizes", conta Paula Teixeira ao DN, minutos depois de terminar uma das sessões escolares da peça. "Eles sentem-se incluídos, porque os outros aprendem a falar a língua deles."

"É um sonho antigo que finalmente se tornou realidade", conta a protagonista. "Já criei a Fada Juju há muitos anos, mas agora a Plano 6 deu oportunidade de isto voar mais alto e de a Fada Juju voar a sério." Para quem não associa o nome à cara, Paula Teixeira é a intérprete de língua gestual que, diariamente, traduz o programa matinal da TVI Vocês na TV e o noticiário das 20.00. Para lá do quadradinho, canta (com a voz e os gestos) e editou três livros infantis que pretendem sensibilizar crianças e adultos para importância da inclusão - O Som das Cores , Amizade sobre Rodas e Fada Juju e a Escola Mágica.

Foi a partir destes três títulos que nasceu Fada Juju e a Festa dos Sentidos, escrita por Ana Rangel e João Ascenso, que é também o encenador. A história resume-se no encontro de uma fada desastrada à procura do seu dom e da sua melhor amiga, Noa - "uma criança normal que aceita todos os outros, sem limitações, como todas as crianças, porque eles não discriminam se não se não são incentivadas a isso". Frequenta uma escola especial e torna-se amiga de Margarida, que se desloca em cadeira de rodas, de um menino cego, Tomás, e de um menino que não ouve, Gaspar.

Juju ensina as crianças a falar com as mãos e consegue mostrar as cores do arco-íris ao menino que não vê, descobrindo, por fim, o seu dom: ajudar os outros a comunicar.

Como não podia deixar de ser, há uma intérprete de língua gestual, mas não é uma interprete qualquer, é uma gnoma. "Ela faz parte do espetáculo." Chama-se Ekui, como um jogo pedagógico que ensina língua gestual e braille através de cartas. E acesso a pessoas com mobilidade reduzida e sessões com áudio descrição para cegos. "Tentámos fazer o máximo para ser inclusivo."

Depois desta temporada no Teatro da Trindade, há de regressar em setembro, com o início do ano letivo, numa digressão pelo país.

FADA JUJU e a festa dos sentidos

Teatro da Trindade

Largo da Trindade, 7A, Lisboa

Até 27 de maio De quarta a sexta, às 11.00 e 14.30 (escolas); sábado, às 16.00; domingo, às 11.00. Maiores de 4 anos

Bilhetes a 10 euros

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG