Entradas no Museu Berardo vão mesmo passar a ser pagas

Renovação do acordo para a manutenção do Museu Berardo no CCB obriga, porém, a que as entradas sejam grátis pelo menos um dia por semana

As entradas no Museu Berardo vão mesmo passar a ser pagas, soube-se hoje durante a assinatura da adenda de renovação do acordo para a manutenção do Museu Coleção Berardo no Centro Cultural de Belém. Uma cláusula da adenda diz mesmo que a Fundação Berardo se compromete a cobrar entradas, mas o valor está por definir.

A assinatura da adenda ao protocolo de 2006 conta com a presença, em representação do Estado Português, do ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, e do comendador José Berardo e os representantes da Associação Coleção Berardo.

"Conforme acordo entre as partes, garante-se a permanência da coleção em comodato na Fundação de Arte Moderna e Contemporânea - Coleção Berardo, para exposição no Museu, no Centro Cultural de Belém", indica uma nota do Ministério da Cultura, enviada à comunicação social.

Segundo o Ministério da Cultura, o acordo - que será assinado por mais seis anos, e com possibilidade de renovação - foi fechado na segunda-feira.

O Museu Coleção Berardo abriu em 2007 com um acervo inicial de 862 obras da coleção de arte do empresário, cedidas ao Estado, avaliadas nessa altura em 316 milhões de euros pela leiloeira internacional Christie's.

De acordo com o gabinete do ministro da Cultura, depois de seis meses de negociação, não foi criado um novo acordo, mas sim uma adenda que determina ainda que o Estado mantenha o direito de opção de compra da coleção, como anteriormente.

Uma das novidades da adenda, ainda segundo a fonte do gabinete do ministro, é que anteriormente o CCB pagava as despesas da bilhética, e o Museu Berardo tinha as receitas, passando agora a assumir ambas e obrigado a garantir entradas grátis pelo menos um dia por semana.

Outra das novidades é a alteração da periodicidade da dotação do Estado para a Fundação Berardo, que gere o museu, passando a ser definida a dois anos - para despesas de funcionamento e de programação - em vez de anualmente, como estava previsto no anterior acordo.

O acordo de empréstimo das obras da coleção de arte do empresário para a manutenção do Museu Berardo terminava a 31 de dezembro deste ano.

O Museu Berardo celebrou nove anos em junho passado, com mais de seis milhões de visitantes das exposições permanentes e temporárias, segundo dados do museu.

Exclusivos