E se Banksy for Robert del Naja, dos Massive Attack?

A tese foi avançada por um estudante de Jornalismo, que sugere que aquele que é conhecido como "3D" seja o autor das obras de Banksy, ou o líder do grupo que as produz

Banksy era para muitos o pseudónimo artístico de Robin Gunningham, um residente de Bristol - cidade natal do artista - que em 2008 foi apontado pelo jornal britânico Daily Mail como o homem por detrás do artista. A informação seria depois corroborada por um estudo da Universidade Queen Mary, de Londres, através de um "perfil geográfico".

Recentemente, um estudante de jornalismo da Universidade Caledonian, em Glasgow, Escócia, surgiu com uma nova teoria. Craig Williams, de 31 anos, apresentou uma investigação exaustiva no seu blogue em que sustenta a tese que será Robert del Naja, o fundador dos Massive Attack, conhecido como "3D", o verdadeiro Banksy, ou o líder de um grupo de artistas que produz os murais de Banksy pelo mundo inteiro.

Williams apresenta 15 situações, por todo o mundo, em que um mural de Banksy (que, assim que é descoberto, percorre o mundo) coincidiu com um lugar e um tempo em que também os Massive Attack, que além de Del Naja são compsotos por Grantley Marshall, estavam presentes. Por exemplo: a um de maio de 2010, seis murais de Banksy foram divulgados pela imprensa - entre eles This'll Look Nice When It's Framed - em San Francisco, EUA; dias antes, a banda de trip hop inglesa havia dado dois concertos na cidade. Quando os Massive Attack atuaram em Toronto, Canadá, a 7 e 9 de maio de 2010, nesse último dia três murais apareciam na cidade.

Madonna Con La Pistola, pintado na parede uma igreja de Nápoles por Banksy em 2004, é outro dos exemplos. Outra obra do artista terá aparecido em 2010, ano em que Del Naja, filho de pai italiano, esteve na cidade com que por várias vezes manifestou ter ligação.

Williams encontrou dificuldades em explicar o caso na Palestina, onde Banksy criou nove trabalhos em 2005 no muro construído por Israel na Cisjordânia, West Bank Guard - um dos mais conhecidos mostra uma pequena menina a revistar um guarda - e onde voltaria em 2015. Williams recorda, ainda assim, que Del Naja e os Massive Attack trabalham desde 2005 com a fundação HOPING (sigla para Hope and Optimism for Palestinians in the Next Generation).

O estudante de mestrado em Jornalismo recorda ainda que Banksy falou várias vezes da sua amizade com Robert Del Naja, que aparece no documentário do artista Exit Through The Gift Shop (2010), onde o fundador dos Massive Attack faz referência à vivência dos dois na cidade de Bristol, de onde ambos são naturais e onde também 3D fez graffiti nos anos 80. O seu trabalho gráfico aparece, aliás, nos discos dos Massive Attack.

É Banksy quem assina o prefácio de 3D & the Art of Massive Attack (2015), recorda ainda Williams. "Quando eu tinha cerca de dez anos, um rapaz chamado 3D estava a pintar a sério nas ruas. O 3D deixou de pintar e formou a banda Massive Attack, o que pode ter sido algo bom para ele, mas foi uma grande perda para a cidade", cita o estudante de Jornalismo.

A suspeita não será, ainda assim, nova. Del Naja já terá sido questionado acerca da possibilidade de ser o verdadeiro Banksy, mas negou sempre. Craig Williams conclui, na sua investigação, que Banksy pode ser "um grupo que, ao longo dos anos, seguiu os Massive Attack e pintou murais para seu lazer. E talvez a encabeçar esse grupo esteja Del Naja. Um artista multidisciplinar à frente de um dos grupos seminais na história recente da música britânica, aparecendo também como o artista de rua que mais reverência suscita no planeta."

Os Massive Attack atuaram em Portugal, por onde já haviam passado várias vezes, em julho deste ano, no festival Super Bock Super Rock.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG