Concerto da Orquestra Metropolitana no Festival ao Largo cancelado

Marcado inicialmente para as 21.30 de domingo, ontem foi adiado para segunda-feira e hoje a organização informou que, afinal, não se realizará.

"Lamentamos informar que o concerto da Orquestra Metropolitana de Lisboa no Festival ao Largo Millennium foi cancelado", informa a uma nota da OPART enviada às redações, referindo-se à atuação que inicalmente estava marcada para as 21.30 de domingo, dia 10 de julho.

"Considerando a realização - sensivelmente à mesma hora - da final do Campeonato Europeu de Futebol e a forte probabilidade de não ser possível assegurar as condições minimamente exigíveis para a apresentação de um concerto de música erudita no espaço público, ao ar livre; Atendendo, ainda, à impossibilidade de encontrar uma data alternativa para a realização do concerto, nomeadamente, o dia seguinte, como chegou a ser equacionado", a OPART confirma o cancelamento do concerto.

O Festival Ao Largo começou na sexta-feira e prolonga-se até dia 30, com espetáculos de música, ópera, dança e teatro. Sempre com entrada gratuita.

No ano em que se assinalam os 400 anos da morte de William Shakespeare, a Escola Superior de Teatro e Cinema apresenta Sonho de uma Noite de Verão, a próxima iniciativa do festival, na quarta e quinta-feira, às 21.30.

Segue-se, no dia 15, o concerto Portugal na Primeira Grande Guerra, pela Orquestra Sinfónica Portuguesa e pelo Coro do Teatro Nacional de S. Carlos, em colaboração com o Festival Internacional de Música Estoril-Lisboa, que conta com a participação da soprano Sara Braga Simões, do barítono André Baleiro e tem direção musical de Joana Carneiro.

Serão interpretadas a cantata Dona Nobis Pacem, de Ralph Vaughan Williams, sobre textos bíblicos e poemas de Walt Whitman, e a 7.ª Sinfonia em Lá Maior, Opus 92, de Beethoven.

Outra participação neste festival é da Orquestra Gulbenkian, no dia 21, num concerto que terá a participação do pianista Mário Laginha, solista no seu próprio Concerto, sob a batuta de Pedro Neves. Além do Concerto para piano e orquestra de Mário Laginha, será também interpretada a Sinfonia n.º 5, em dó menor, Opus 67, de Beethoven.

A 22 e 23 de julho, será apresentada a ópera Cavalleria rusticana, de Pietro Mascagni, em versão de concerto (sem encenação), pela Orquestra Sinfónica Portuguesa e pelo Coro do Teatro Nacional de S. Carlos, sob direção musical de Domenico Longo.

A dança preencherá os últimos os três dias do festival - 28, 29 e 30 de julho -, com a Companhia Nacional de Bailado a interpretar coreografias de George Balanchine (Serenade), William Forsythe (Herman Schmerman) e Hans van Manen (Cinco tangos).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG