Como a pintura ajudou o coração partido de Jim Carrey

Veja o mini-documentário em que o ator revela a sua faceta de artista.

Já eram conhecidas algumas das pinturas de Jim Carrey, mas agora o ator, duas vezes vencedor de um Globo de Ouro e conhecido por filmes como Ace Ventura (1994) ou The Truman Show - A Vida em Direto (1998), revela mais sobre esse hobby que tem desde miúdo e o que o faz dedicar-se cada vez mais à pintura e à escultura e passar cada vez mais tempo afastado do ecrã.

O documentário I needed color ("eu precisava de cor) tem apenas seis minutos e nele podemos ver Jim Carey em frente das suas enorme telas coloridas ou a moldar as suas esculturas com as mãos, enquanto o ouvimos contar como começou a desenhar sozinho no seu quarto e como um coração partido, há seis anos, após a separação de Jenny McCarthy, o fez dedicar-se mais intensamente à arte. "Aquilo que faz de uma pessoa um artista é que cria modelos da sua vida interior", explica o ator.

Conhecido acima de tudo como um ator de comédia, Jim Carrey, agora com 55 anos, mostra aqui o seu lado mais vulnerável. "Podem saber o que eu sinto pelas cores dos meus quadros", diz.

O vídeo foi partilhado na plataforma vimeo há três semanas mas só nos últimos dias tem vindo a ser descoberto pelos fãs de Jim Carrey. Veja aqui o filme completo:

O ator já tinha mostrado as suas pinturas. A sua primeira exposição a solo realizou-se em 2011 e tinha o título "Nothing to see here" ("não há nada para ver aqui").

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG