Catorze oradores, entre eles Ian Shapiro e Vargas Llosa, discutem democracia em Lisboa

Encontro vai realizar-se em outubro, no Teatro São Luiz.

Catorze oradores em oito conferências vão discutir a democracia, em outubro, numa iniciativa que inclui tertúlias ao ar livre e cinema, e que junta, em Lisboa, nomes como Ian Shapiro, Chantal Mouffe ou o Prémio Nobel Mário Vargas Llosa.

Promovidos pela Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS), os encontros sobre o tema "Que Democracia?", hoje apresentados, realizam-se a 7 de outubro, no Chiado, no Teatro S. Luiz, mas também "um pouco por todo o lado".

Os debates partem da ideia de que nunca a democracia teve a aceitação generalizada que tem hoje, mas também que é crescente a insatisfação das pessoas em relação às instituições políticas que as governam.

Será para refletir sobre os fundamentos da democracia que oradores nacionais e estrangeiros vão debater a questão com o público, começando com Ian Shapiro, da Universidade de Yale. Shapiro é investigador nas áreas das ciências sociais, teorias de justiça e democracia, escritor e professor em várias universidades.

Depois de Shapiro, na conferência de abertura, o programa da FFMS desdobra-se em três sessões plenárias, ao longo do dia (algumas ainda com sessões paralelas), e termina ao fim da tarde com o Prémio Nobel da Literatura, em 2010, Mário Vargas Llosa, que falará sobre o futuro da democracia, sobre as mudanças e sobre o valor que esta terá no mundo, no futuro.

Ao longo do dia serão ainda discutidos temas como a democracia das instituições europeias, pluralismo e justiça social ou democracia representativa e democracia direta. Mas também, ao fim da tarde, se vai discutir ao ar livre, no jardim da Fundação, a democracia ligada ao humor, à literatura, à música e à participação.

A iniciativa da FFMS termina à noite, com a exibição de quatro filmes, depois de um dia para ouvir, além de Shapiro e Llosa, nomes como Maria Lúcia Amaral, juiz do Tribunal Constitucional, a professora de teoria política da Universidade de Westminster Chantal Mouffe e a professora de ciência Política da Universidade de Columbia Jean Cohen.

E também, de Portugal, os professores Nogueira de Brito, José Gomes André e António Tavares, a arquiteta e deputada Helena Roseta, o investigador Pedro Magalhães, entre outros intervenientes. Da Universidade de Colónia estará Wolfgang Streeck, de Boston chega Vivien Schmidt, de Lausanne vem Ioannis Papadopoulos e, também de Yale, a professora de ciência política Hélène Landemore.

O programa conta ainda com outros especialistas, da Argentina, de Espanha, do Brasil, e ainda os portugueses Rebecca Abecassis, Felisbela Lopes e Miguel Poiares Maduro.

Exclusivos