Bruce Springsteen arranca digressão europeia de forma triunfal em Barcelona

O DN esteve no primeiro concerto da digressão europeia de Springsteen, no Camp Nou, em Barcelona

Esta quinta-feira Bruce Springsteen e a sua E Street Band vão regressar ao Rock in Rio-Lisboa, quatro anos depois da última atuação no mesmo festival, e se o propósito desta digressão que arrancou este sábado no Camp Nou, em Barcelona, era a reedição do álbum duplo The River (1980), do qual foram interpretadas mais de metade das canções, o músico não esqueceu muitas dos outros temas célebres do seu percurso. Badlands deu o mote e rapidamente percebemos como a máquina E Street Band se mantém tão poderosa quanto da última vez que tivemos oportunidade de a ver em Portugal.

Bruce não espera pelo fim em glória para descer às grades e cantar junto daqueles que há horas, dias, aguardavam nas imediações do estádio do FC Barcelona por este concerto que não foi só uma celebração dos 35 anos de The River, mas também de 35 anos desde que Bruce e a E Street Band pisaram pela primeira vez a vizinha Espanha.

No Surrender e My Love Will Not Let You Down, foram as canções que se seguiram, antes de Springsteen iniciar a verdadeira viagem por The River que 65 mil pessoas tanto ansiavam. Logo aos primeiros minutos o músico mostrou-se incansável, surpreendendo ainda mais quando se tem em conta que já soma 66 anos, quase não parando em palco. Em Hungry Heart, canção que pôs todo um estádio a cantar em uníssono, Bruce esteve sempre no corredor que atravessava a plateia. É assim que comunica com todos aqueles que o admiram.

Mas nem tudo foi eletricidade, ou não tivesse Bruce substituído, por momentos, a guitarra elétrica por dois pares de maracas, durante a sua "canção de amor", como referiu, I Wanna Marry You. Seguiram-se The River, a canção, e Point Blank, dois temas implacáveis sobre a desolação social e que ao vivo ganham uma dimensão ainda mais realista, porque se elas foram compostas sob os efeitos da recessão que os Estados Unidos atravessaram no início dos anos 1980, hoje as suas histórias continuam a falar bem diretamente a grandes camadas da população. E essa perceção é visível até num estádio.

Como democrata que é, depois de ter recolhido dezenas de cartazes com pedidos de canções que os fãs das primeiras filas empunhavam, Bruce deu a escolher ao público e este preteriu Glory Days a Growing Up, ao que o músico obedeceu, para logo a seguir voltar a aceder ao pedido de um dos admiradores e se entregar a I Wanna Be With You.

Durante três horas e meia de espetáculo Springsteen não teve para muitas conversas, mas a sua presença física é de tal forma carismática que não precisa de mais. Performer nato que é, consegue criar uma cumplicidade com o seu público que é raro de se ver em concertos desta dimensão. Mas essa cumplicidade era inegável, como se comprovou na reta final do concerto, uma sucessão de sucessos que passou pelos inevitáveis Born to Run, Born in the USA ou Dancing in the Dark (e antes já tinham sido recordados os clássicos Because The Night, que compôs para Patti Smith, ou Thunder Road) durante a qual duas fãs puderam, por momentos, ser a Courteney Cox de Bruce e dançar e dar uns passos de dança ao seu lado em cima do palco.

Tal como fez nas últimas datas desta River Tour nos Estados Unidos, também em Barcelona prestou a sua homenagem a Prince com uma versão de Purple Rain, iluminando-se todo o palco e estádio em tons de púrpura.

A festa chegou ao fim perto da uma da madrugada com o clássico Twist & Shout e um Camp Nou plenamente rendido à honestidade palpável deste homem (e desta banda). Tem tudo para ser, uma vez mais, um momento histórico também em Portugal, já na quinta-feira.

Alinhamento do concerto em Barcelona. O que pode esperar no Rock in Rio-Lisboa:

Badlands

No Surrender

My Love Will Not Let You Down

The Ties That Bind

Sherry Darling

Jackson Cage

Two Hearts

I'm Goin' Down

Hungry Heart

Out in the Street

I Wanna Marry You

The River

Point Blank

Atlantic City

Darlington County

Glory Days

I Wanna Be With You

Ramrod

The Price You Pay

Drive All Night

Lonesome Day

Prove It All Night

The Promised Land

Because the Night

She's the One

Brilliant Disguise

The Rising

Thunder Road

Purple Rain (Prince)

Born in the USA

Born to Run

Dancing in the Dark

Tenth Avenue Freeze-Out

Shout (The Isley Brothers)

Bobby Jean

Twist & Shout (The Top Notes)

Leia mais na edição de 16 de maio

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG