Brigitte Bardot e os "casos hipócritas": "muitas atrizes aquecem produtores para obter um papel"

"Parecia-me encantador quando me diziam que era bonita e tinha um belo rabo. Este tipo de piropos é agradável", declarou a ex-atriz

A ex-atriz Brigitte Bardot considerou esta quarta-feira que a maior parte das denúncias de abuso sexual no cinema, conhecidas nos últimos meses, são "casos hipócritas" e afirmou que muitas intérpretes "aquecem os produtores para obter um papel".

Numa entrevista à revista "Paris Match", a atriz, que foi um mito erótico dos anos 1960, indicou que toda a polémica provocada pelos abusos a atrizes "ocupa o lugar de temas importantes que deveriam ser debatidos".

"Depois, para que se fale nelas, dizem que foram objeto de abuso. Na realidade, em vez de as beneficiar, isso prejudica-as", acrescentou.

"Eu nunca fui vítima de abusos sexuais. E parecia-me encantador quando me diziam que era bonita e tinha um belo rabo. Este tipo de piropos é agradável", declarou ainda à revista.

Bardot, que está retirada do cinema há muitos anos, dedica-se à defesa dos animais.

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras