Vasconcelos e os bichos de Bordalo

 'Bordaliana' reúne 11 animais recuperados . 16 obras estão no Espaço PLMJ, Lisboa.

Só havia uma vespa "muito partida" na fábrica das Caldas da Rainha. E a lagosta, rezam as crónicas, era uma das peças que decoravam o Jardim da Estrela, mas há décadas que ninguém a via. Como o molde original ainda existe, Joana Vasconcelos incluiu-o no lote de 11 animais que em 2005 encomendou à Fábrica de Faianças Artísticas Bordalo Pinheiro. O problema foi a escala. É tudo feito e cozido por partes, logo, difícil de montar e pintar, e o resultado foram vários exemplares transformados em cacos. Quatro anos depois, a grande lagosta ganhou uma cobertura de crochet negro, "collants de corista" nas patas e lugar de destaque na exposição Bordaliana, que a artista acaba de inaugurar em Lisboa, no Espaço Fundação PLMJ.

Cleópatra, a enorme vespa, Scarlett, o caranguejo, Tornado, o cavalo, Tom, o gato, ou Kubrick, o sapo laranja, são outras das 16 peças que Joana Vasconcelos apresenta na 1.ª exposição que faz em Portugal com todos os 11 bichos recuperados a partir do bestiário criado por Bordalo Pinheiro (1846-1905), 120 anos depois de o artista os ter levado à Exposição Universal de Paris. Apostada em "salvar este espólio e salvar esta obra" numa altura em que a fábrica das Caldas vivia a ameaça de encerramento, a artista reinterpretou-o, cobrindo-o com naperons e criando um imaginário próprio."O crochet tem um lado ornamental, mas funciona como uma rede que aprisiona os animais", diz o comissário, Miguel Amado, considerando que Bordaliana "é uma leitura do bestiário de Bordalo que contempla também a atribuição de algumas características humanas e psicológicas". "Estes animais têm isso. Não estão expectantes, têm uma violência implícita e uma identidade", acrescenta a artista. Ainda que algumas formas se repitam, a identidade de cada peça é conferida pelas cores e padrões dos naperons que as revestem, comprados por Joana Vasconcelos em feiras do País e coleccionados até que apareça a obra certa para os usar. O touro cobriu-se de rendas de bilros vermelhas, o lobo tem rosetas creme, o burro tem o padrão oriental e a vespa veste rendados da Madeira.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG