"Silver Car Crash" de Warhol vendido por 78,3 milhões

O quadro "Silver Car Crash" (Double Disaster) do artista pop norte-americano Andy Warhol foi vendido, esta quarta-feira, pelo valor recorde de 105,4 milhões de dólares (78,3 milhões de euros) num leilão da Sotheby's, em Nova Iorque.

A obra integra o conjunto de outros três trabalhos sob o tema "Morte e Desastre" criados por Andy Warhol, em 1963, e foi arrematada, especificamente, por 105.445.000 dólares norte-americanos (78,31 milhões de euros), referiu a casa de leilões.

"Este é o meu favorito", disse o leiloeiro da Sotheby's ao anunciar a obra que viria a ser disputada por três licitadores e que superou o anterior recorde do artista, fixado em 71,2 milhões de dólares (52,88 milhões de euros).

Com 2,43 metros de altura e quatro de largura, o trabalho de Andy Warhol é composto por dois painéis: o primeiro recorre à serigrafia e a 15 fotografias de um acidente automóvel e outro conta com um retângulo prateado.

Na terça-feira, também em Nova Iorque, mas na rival Christie's, um tríptico do pintor britânico Francis Bacon foi arrematado em leilão por 142,4 milhões de dólares (106 milhões de euros), transformando-se na obra de arte mais cara do mundo, superando "O Grito", de Munch.

A obra "Três estudos de Lucian Freud" foi vendida, após seis minutos intensos de licitação.

Acolhida com aplausos, a venda do quadro em leilão superou o recorde anterior de 119,9 milhões de dólares (89,1 milhões de euros) do célebre quadro "O Grito", do artista norueguês Edvard Munch, leiloado, em maio de 2012, pela Sotheby's.

O raro tríptico, executado 25 anos depois do reencontro entre Bacon e Freud, foi a venda individual mais cara de toda a temporada de leilões, de novembro, em Nova Iorque.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG