Exposição relaciona imaginário português e guerra colonial

Uma exposição com obras de Manuel Botelho vai mostrar, a partir de 04 de abril, em Lisboa, o lugar das imagens de guerra na cultura visual moderna, através da relação entre o imaginário português e a Guerra Colonial.

"Confidencial/Desclassificado" é o título desta exposição, comissariada por Miguel Amado, que inaugura nessa data, às 18:30, no Espaço Fundação PLMJ (A.M. Pereira, Sáragga Leal, Oliveira Martins, Júdice e Associados), onde ficará até 07 de julho, de acordo com a entidade.

"Em Portugal, a Guerra Colonial marcou a história recente do país. Contudo, relativamente às artes plásticas, verifica-se um défice no tratamento deste assunto. O projeto realizado por Manuel Botelho, desde 2008, constitui uma exceção neste panorama", refere uma nota do comissário, Miguel Amado, sobre a exposição.

O projeto é sintetizado nesta mostra, onde o pintor Manuel Botelho apresenta várias séries de obras, algumas inéditas, através da produção de imagens de guerra fictícias.

As obras são encenações de micro-histórias protagonizadas por um soldado português que simboliza os combatentes da Guerra Colonial, e nelas Botelho explora a perceção, a experiência vivida e a memória visual existentes em Portugal acerca deste conflito.

Nascido em Lisboa, em 1950, Manuel Botelho vive e trabalha em São Pedro do Estoril. Estudou Arquitetura na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa e Artes Plásticas na Byam Shaw School of Art, e na Slade School of Fine Art, ambas em Londres.

Atualmente é professor auxiliar na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa.

Expõe regularmente desde inícios da década de 1980 em Portugal e no estrangeiro, e das suas exposições individuais destacam-se: "Pintura, 1990-1994", na Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, em 1994, "Pintura e Desenho, 1997-2000", no Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa, em 2000 e "Delitos e Confissões", no Centro Cultural de Lagos, em 2005.

Na inauguração da exposição "Confidencial/Desclassificado" vai ser lançado um catálogo com um ensaio do comissário e reproduções de diversas obras deste projeto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG