Apresentadores dos prémios Goya sem roupa? A melhor audiência em 9 anos

Aconteceu este sábado, durante os Prémios Goya. Silvia Abril e Andreu Buenafuente, num momento de humor, apresentaram o vencedor do melhor guarda-roupa... em roupa interior

Numa gala do cinema, o foco está nos vencedores mas também na passadeira vermelha, no glamour dos modelos escolhidos para a cerimónia... uma espécie de triunfo dos trapos, assinados por grandes nomes da moda. Os nossos vizinhos espanhóis decidiram inovar e os apresentadores dos Prémios Goya, que se realizou sábado em Sevilha, surgiram por uns momentos... em roupa interior.

O momento de humor não poderia ter sido mais bem escolhido - Silvia Abril e Andreu Buenafuente, ela atriz e humorista, ele humorista, apresentador e produtor, casados um com outro, ficaram nestas figuras quando estavam a apresentar o prémio para melhor guarda-roupa.

Não é sabido se se deve à prestação do casal, nem tão pouco ao seu momento em roupa interior, mas o certo é que a transmissão da gala dos prémios do cinema espanhol pela TVE foi líder de audiência, com uma quota de 26,2% - a melhor dos últimos nove anos. Quatro milhões de espetadores assistiram à cerimónia que contou com a presença de nomes maiores do cinema espanhol, como Penélope Cruz e Pedro Almodóvar, e que teve como grande vencedor El Reino, que arrecadou sete prémios, embora o de melhor filme tivesse ido para Campeones, de Javier Fesser.

A imprensa espanhola, que tem sido crítica em relação ao tempo e ao andamento da cerimónia nos últimos anos, coloca o gag entre os melhores momentos do evento. E conta como se passou: quase no final, quando o casal regressava ao palco, Silvia Abril simulou que o vestido preto com uma longa cauda tinha ficado preso e que, ao tentar desprendê-lo este se rasgou.

Ela ficou em roupa interior, Andreu Buenafuente, solidário, mas não se lhe dar um beijo com uma carinhoso "te quiero" arrancou também o seu fato. E ficou em boxers, pedindo à mulher que fosse rápida a dizer quem venceu a categoria.

Na crítica à gala, O El Pais, por exemplo, elogia o casal, dizendo que é evidente que são profissionais da televisão e que muito terão contribuído para o sucesso da cerimónia. Destaca, entre outros, o momento em que ficaram despedidos. Outros jornais também o fazem.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.