Anselmo Ralph tira os óculos no cinema

Documentário do realizador André Banza acompanhou o cantor angolano em digressão, nos bastidores e em estúdio. No regresso à adolescência em Nova Iorque e até quando está sem o seu mais precioso acessório.

"Foi a determinação, a crença e a vontade de vencer o que me trouxe aqui". A frase é de Anselmo Ralph e é dela que sai o título do documentário sobre o cantor angolano que estreia amanhã nos cinemas. O filme levanta o véu sobre quem é o músico em 107 minutos. Quem espera ver o lado lunar, não encontrará. E as imagens mais raras ficam reservadas para a última meia hora. Sem óculos, o acessório que usa para se proteger das luzes, violentas para quem sofre de miastenia, a doença que lhe afeta os músculos e, logo, as pálpebras.

Proteger esse lado era ponto assente para André Banza, o realizador de Vontade de Vencer, explicou ao DN. "Mostrei-lhe que o íamos proteger". As imagens foram captadas ao longe, a contraluz, enquanto Anselmo corta o cabelo. O cantor, por seu lado, acaba por admitir que "havia sempre uma preocupação", mas que os cuidados estavam do lado das pessoas que trabalham com ele. "Quando vou ao ginásio ou na rua não ando de óculos, não é assim tão preocupante", afirma, ao telefone com o DN.

André Banza, e uma equipa de mais três pessoas - a produtora e jornalista Paula Campos, um câmara e um técnico de som - acompanharam o cantor durante nove meses em digressão. De abril a dezembro de 2014, documenta a ficha técnica. E mais seis meses de trabalho na mesa de edição e na pós-produção.

Leia mais na edição impressa e no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG