ANIM. Filmes, debates e visitas aos cofres e laboratórios

Até ao final do ano, a Cinemateca Portuguesa vai celebrar os 20 anos da criação do Arquivo Nacional das Imagens em Movimento (ANIM) com ciclos de filmes restaurados, debates e visitas guiadas aos cofres e laboratórios.

O ANIM abriu portas a 06 de outubro de 1996 e a Cinemateca apresentou hoje uma programação para "por em público a importância de um arquivo fílmico" para um país. Para a Cinemateca "há um antes e um depois do aparecimento do ANIM", afirmou o subdiretor do organismo, Rui Machado.

O programa contará com a exibição de uma dezena de filmes que foram alvo de restauro analógico e digital nos últimos anos, entre os quais "A paixão dos fortes", um 'western' de John Ford de 1946, O ladrão de Bagdad (1940), de Michael Powell, e A ilha dos amores (1982), de Paulo Rocha.

No dia 27 de outubro, Dia Mundial do Património Fílmico, a Cinemateca exibirá O sétimo selo (1959), de Ingmar Bergman.

Ainda em outubro, a Cinemateca apresentará filmes - a maioria produções portuguesas - feitos com base em material de arquivo do ANIM, como Fantasia Lusitana (2010), de João Canijo, Natureza morta (2005), de Susana de Sousa Dias, e Olhar o cinema português 1896-2006" (2006), de Manuel Mozos.

A Cinemateca localiza-se em Lisboa, mas os cofres e laboratórios de restauro do ANIM estão situados em Bucelas, no concelho de Loures. É lá que o ANIM abrirá portas ao público no dia 06 de outubro e organizará, nos meses de novembro e dezembro, visitas guiadas.

A 17 de outubro o, no âmbito do plano de edições em DVD, a Cinemateca editará Margot Dias: Filmes Etnográficos (1958-1961).

Ainda sem data anunciada, a Cinemateca fará igualmente um curso no ANIM sobre conservação e restauro analógico em cinema, uma exposição temática, lançará em DVD os filmes "Os lobos" e "Mulheres da beira", restaurados, de Rino Lupo, e fará três colóquios, sobre a existência do cinema em digital e analógico e sobre a digitalização do cinema português.

Em parceria com a Cinemateca, a RTP Memória vai exibir, nos dias 08 e 09 de outubro, as cópias digitais de três filmes restaurados nos laboratórios do ANIM: A canção de Lisboa (1933), de Cotinelli Telmo, O Costa do Castelo (1943), de Arthur Duarte, e João Ratão (1940), de Jorge Brum do Canto.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG