Adele parte Grammy ao meio e dedica vitória a Beyoncé

Depois de agradecer pelo prémio, a cantora disse que Lemonade, de Beyoncé, é "enorme"

A britânica Adele foi a grande vencedora dos Grammy deste ano, mas na hora da consagração, quando recebeu o prémio para Melhor Álbum, reconheceu que a honra deveria ter ido para Beyoncé e dedicou-lhe a vitória. Em seguida, por acidente ou piada, partiu o prémio ao prémio ao meio.

Depois de agradecer o prémio, a cantora disse que Beyoncé é a "artista da sua vida" e que Lemonade é "enorme". "Não posso aceitar este prémio", disse, antes de elogiar o álbum da norte-americano: foi "muito bem pensado e tão bonito e tão exposto e todos vimos um outro lado de ti que nem sempre nos deixas ver".

Adele explicou ainda que a forma como Beyoncé a faz sentir, a ela e sobretudo aos seus amigos negros, "lhes dá poder e faz com que se defendam". No público, a cantora norte-americana acabou por ficar emocionada e chorar com as palavras da colega.

Beyoncé, por sua vez, que recebeu o prémio de Melhor Álbum Urbano Contemporâneo por Lemonade, falou sobre a importância de aprender com o passado, no seu discurso, e de confrontar os temas que nos põem desconfortáveis.

Adele tornou-se a primeira artista da história a alcançar a vitória nas três categorias principais pela segunda vez.

A britânica foi uma das artistas em palco na atribuição dos prémios. A cantora, que já na edição do ano passado tinha tido problemas na sua atuação ao vivo, pediu para reiniciar o seu tributo ao cantor George Michael. Adele parou de cantar "Fastlove" de George Michael, que morreu no Natal do ano passado, e atirou ao público: "Não posso estragar isto para ele". Depois retomou a música e obteve um forte aplauso da multidão.

Com Lusa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG