Academia bane dos Óscares os dois responsáveis pelo erro

A parceria de 83 anos com a empresa PwC também está a ser reavaliada. Brian Cullinan e Martha Ruiz não voltam à cerimónia

As duas pessoas da empresa PwC que supervisionaram a contagem dos votos para a atribuição dos Óscares foram afastados de futuras cerimónias da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, na sequência do engano na revelação do vencedor para a categoria de melhor filme, na cerimónia do passado domingo.

Recorde-se que na altura, foi anunciado que o vencedor do Óscar seria La La Land, tendo o erro sido de imediato corrigido, uma vez que o vencedor havia sido na verdade Moonlight.

Em entrevista à agência Associated Press, Cheryl Boone-Isaac, presidente da Academia de Hollywood, revelou que está a ser reavaliada a parceria com a PwC, que supervisiona a votação e entrega dos Óscares há 83 anos.

O erro ocorreu quando Brian Cullinan, presidente do PwC nos Estados Unidos, deu o envelope errado ao ator Warren Beaty, que juntamente com Faye Dunaway, teria a missão de anunciar o vencedor do prémio para o melhor filme, tendo depois os discursos de agradecimento dos produtores de La La Land sido interrompidos devido ao erro.

É precisamente Brian Cullinan e a sua colega Martha Ruiz que foram agora afastados das próximas cerimónias dos Óscares.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.