40 a desenhar e escrever sobre Lisboa

Ilustradores e escritores reuniram-se e pintaram e escreveram Ler e Ver Lisboa. Um guia especial para a cidade.

Não havia ninguém que até ontem não tivesse tido a ideia de escrever e publicar um livro como é 'Ler e Ver Lisboa', no entanto isso nunca tinha acontecido. Foi o que se percebeu durante o seu lançamento na Feira do Livro de Lisboa, quando a responsável da editora Prado, Patrícia Portela, o confessou; um dos escritores, Afonso Cruz, também o tornou público, logo secundado por David Machado e muitos outros que confirmaram já ter pensado no assunto. Ou seja, o Ovo de Colombo foi pô-lo cá fora porque projetos não faltavam.

O livro contém 40 histórias, 20 em ilustração e 20 em texto. André Letria desenhou a zona oriental do Porto de Lisboa: "Escolhi o local que conheço bem e que me permitiu desenhar o que eu queria." Entre o que quis estavam os contentores amontoados junto ao Tejo. Patrícia Reis escolheu a zona de Alvalade. Não foi por acaso: "O meu avô levava-me a passear até ao Museu Rafael Bordalo Pinheiro, bem como a muitos outros museus e locais da cidade. A história que escrevi fez com que regressasse a esse tempo da infância em que se andava a pé e olhávamos o que nos rodeava." Mesmo os que não nasceram em Lisboa, como é o caso do escritor Sandro William Junqueira, têm histórias para contar: "Andei pelo elétrico 28 a inspirar-me."

São tantas histórias que a empresa de gestão cultural da Câmara de Lisboa, a EGEAC, imprimiu cinco mil exemplares de 'Ler e Ver Lisboa', um volume de tem pouco mais de 200 páginas mas o retrato que faz da capital portuguesa é como se o número de folhas fosse multiplicado por dez, pelo menos. Não é preciso passar do primeiro texto para se perceber ao que o leitor vai, mesmo que o texto Ulisseia seja apresentado como escrito por um autor (A)nónimo e ilustrado por Alex Gozblau. Começa assim: "Chego a Lisboa pelo estuário do Tejo. Como Ulisses."

Seguem-se 19 pequenas narrativas sobre a cidade, muitas vezes a planar sobre a realidade, noutras bem dentro do coração do que é a vida lisboeta. No primeiro caso, a história A Queda de um Anjo, de Afonso Cruz; no segundo, Os gatos do Poço dos Negros, de Valério Romão, o texto que fecha esta antologia. Pelo meio, surgem textos de todo o género, sempre ilustrados por desenhos muitas vezes geniais de duas dezenas de artistas. Lutando texto a texto com imagem a imagem, numa situação muito pouco usual em livros que reúnem texto e desenho. Os primeiros são de Ana Ventura, os últimos de Yara Kono.

Entre as várias duplas autor/ilustrador estão: Alice Vieira/André Carrilho; Ana Margarida de Carvalho/André Letria; Bruno Vieira Amaral/ António Jorge Gonçalves; Catarina Fonseca/ Bárbara Assis Pacheco; David Machado/ Bernardo Carvalho; Gonçalo M. Tavares/ Danuta Wojciechowska; Joana Bértholo/Gonçalo Viana; Kalaf Epalanga/João Fazenda; Luísa Costa Gomes/João Maio Pinto; Mário Zambujal/Madalena Matoso; Miguel Real/Maria Imaginário; Patrícia Portela/ Maria João Worm; Patrícia Reis/ Paulo Galindro; Ricardo Adolfo/ Pedro Lourenço; Rui Cardoso Martins/Rui Sousa; Rui Zink/Teresa Lima, e Sandro William Junqueira/Tiago Albuquerque.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG