Memórias das baladas chamaram nove mil para ver os Scorpions

O Pavilhão Atlântico, em Lisboa, recebeu ontem o regresso a Portugal dos Scorpions, banda alemã que tem uma das mais fiéis legiões de seguidores. O público, que somava nove mil espectadores, onde pontuavam poucos representantes das gerações mais novas, fez da noite de concerto uma verdadeira festa, que começou bem antes da banda subir ao palco. Abundavam os casais na casa dos 30 e 40 anos, muitos tendo comprado T-shirts "oficiais", vestindo-as na hora, antes de entrar na sala.

Apesar de habitualmente apresentados como um grupo de heavymetal, muitos reconhecem nos Scorpions uma simples banda de canções de sucesso, sobretudo através de baladas intemporais. Still Loving You e Wind of Change foram os discos mais pedidos da noite de ontem, mesmo antes do início do concerto. Susana Pereira, com 37 anos, recordava ao DN tempos de juventude: "No liceu todos sabiam de cor a letra de Wind of Change. Na altura marcou-me muito e ainda hoje canto todos os versos assim que ouço a canção na rádio". Já Mónica Custódio, de 41 anos, lembrava os telediscos do grupo: "Os Scorpions sempre gostaram de aparecer na televisão com guitarras eléctricas pouco habituais e roupas fora do comum. É essa a imagem que deles guardo".

Entre os milhares que acorreram ontem à noite ao Atlântico, encontrámos também aquele que será, muito provavelmente, um dos maiores fãs portugueses dos Scorpions. De lenço na cabeça e com uma faixa sugestiva, onde se lia "Guimarães Loves You", Joaquim Simões revelou-se como "fanático da maior banda do mundo". Este técnico de informática, com 43 anos, afirmou ser "o feliz proprietário de todos os discos dos Scorpions, incluindo algumas raridades". Veio de Guimarães e para o Norte voltará no final do concerto lisboeta. Promete estar presente em todas as actuações da banda em palcos portugueses. E garantiu que não vai perder o concerto de amanhã, no Pavilhão Multiusos da sua cidade, onde os Scorpions também actuam. | - T.P.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG