Premium O festival onde qualquer um pode ser o que quiser

A maior convenção de cultura pop em Portugal está de regresso ao Passeio Marítimo de Algés com novidades na TV e cinema, BD, videojogos, cosplay, música e novos media, para fazer vibrar o geek que há em todos nós. O evento de quatro dias arranca a 12 de setembro, com nomes como Millie Bobby Brown, de Stranger Things, e duas atrizes de A Casa de Papel já confirmadas.

Não será todos os dias que o Batman entra no comboio da CP, em Lisboa, com destino a Cascais, e se cruza com Harley Quinn do Esquadrão Suicida ou com Hatsune Miku, a cantora virtual japonesa com um longo cabelo azul. Provavelmente, só acontece uma vez por ano. De 12 a 15 de setembro, este cenário ganha mais probabilidades, graças à sexta edição do Comic Con Portugal, o maior evento nacional dedicado à cultura pop, que decorre pela segunda vez consecutiva no Passeio Marítimo de Algés.

Depois de quatro edições a norte, na Exponor, em Matosinhos, o festival fixou-se na capital no ano passado, com 100 000m2 à disposição, onde cabem dezenas de palcos, pavilhões, camarins para atores e estrelas da literatura e da BD de ficção científica ou fantasia, expositores, stands para marcas de gaming e concursos para cosplayers (ler artigo na página 12) , os fãs deste universo que vestem e imitam as suas personagens preferidas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Na hora dos lobos

Na ação governativa emergem os sinais de arrogância e de expedita interpretação instrumental das leis. Como se ainda vivêssemos no tempo da maioria absoluta de um primeiro-ministro, que o PS apoiou entusiasticamente, e que hoje - acusado do maior e mais danoso escândalo político do último século - tem como único álibi perante a justiça provar que nunca foi capaz de viver sem o esbulho contumaz do pecúlio da família e dos amigos. Seria de esperar que o PS, por mera prudência estratégica, moderasse a sua ação, observando estritamente o normativo legal.