Premium De pernas para o ar ou atirado pela janela. Tudo se faz a Santo António

Virar o santo ao contrário, tirar-lhe o Menino dos braços e outros "truques" para encontrar o amor. Vale (quase) tudo para conseguir uma bênção do casamenteiro.

Padroeiro da cidade não é (essa missão está com São Vicente), mas no papel de protetor dos namorados, dos maridos e de outras coisas desaparecidas tem direito a feriado e muita devoção. Como santo, o seu raio de atuação é de largo espectro. Protege amputados, animais, os que não podem ter filhos, idosos, grávidas, viajantes e marinheiros, militares, pobres e coisas perdidas. Incluindo o amor.

Já dizia, no século XVIII, o padre António Vieira, que os portugueses para tudo chamavam o auxílio de Santo António de Lisboa: "Se vos adoece o filho, Santo António; se vos foge o escravo, Santo António; se mandais a encomendas, Santo António; se esperais o retorno, Santo António; se aguardais a sentença, Santo António; se perdeis a menor miudeza da vossa casa, Santo António."

Ler mais

Exclusivos