Premium Casamentos de Sto António: 51 anos depois Marcolino e Ermelinda não perdem uma cerimónia

Marcolino e Ermelinda lembram uma cidade inteira a olhá-los e a ser testemunha início da vida a dois. Casaram-se em 1968, quando passava uma década da criação dos Casamentos de Santo António. O número de nubentes diminuiu entretanto, mas a festa continua a ser uma marca de Lisboa.

"Ainda hoje, não falhámos os casamentos." Foi há quase 51 anos que Marcolino Gomes, 76, vestiu o fato preto como um dos noivos de Santo António. Casou-se em 1968 com Ermelinda Gomes, 72, o seu "amor de todos os dias". Lembram-se bem daquele 12 de junho em que a cidade os viu tornarem-se marido e mulher. Mas quiseram mais do que a sua memória. Como católicos, mas principalmente como antigos noivos de Santo António, hoje não perdem o dia em que outros casais iniciam uma vida a dois sob a imagem do santo mais casamenteiro de todos. Se puderem, marcam presença na praça, junto à Sé. Senão, veem tudo pelo televisor. Desde então, "tudo mudou", diz Ermelinda.

A começar pelo processo de preparação da cerimónia. A antiga noiva de Santo António conta que os casais eram informados de que tinham de passar por um teste de virgindade para poderem subir ao altar. "Ficámos a contar com aquilo, esperámos e fomos regrados, mas o teste nunca aconteceu." Era a forma que havia para garantir que "não era qualquer um que se casava" diante do santo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.