Filmes secretos de testes nucleares estão no Youtube

Projeto está a ser realizado para retirar o máximo de informação sobre o efeito das armas nucleares

Os EUA conduziram, entre 1945 e 1962, mais de 200 testes nucleares. As explosões foram filmadas de vários ângulos e distâncias, com os filmes, que devem rondar os dez mil, a estarem guardados em cofres de alta segurança por todo o país.

Agora, noticia o The Verge, 4200 destes filmes foram pela primeira digitalizados e a cerca de 750 foi retirado o rótulo de material classificado pelo governo norte-americano. Cerca de 60 estão disponíveis no Youtube.

Existem filmes a preto e branco, mas também a cores, todos com nomes de código: Operação Hardtack, Operação Plumbbob e Operação Teapot.

O projeto é supervisionado pelo Lawrence Livermore National Laboratory. Greg Spriggs, responsável pelo projeto, espera guardar os filmes e retirar deles o máximo de informação possível, visto que existe ainda muito que não se sabe sobre os testes, as explosões e os seus efeitos.

"A única informação que temos são testes antigos e isso torna as coisas mais complicadas", refere num vídeo.

Até agora, terá analisado entre 400 a 500 filmes nos últimos cinco anos. É importante digitalizá-los pois a película onde estão registados começa a deteriorar-se com o tempo.

Mas o trabalho não consiste em apenas ver os filmes, porque fazer com que deixem de ser classificados exige um grande trabalho burocrático, como refere a Wired.

Já Spriggs, que tem que preencher um formulário por cada filme e entregá-lo ao Departamento de Energia, pensa que não há razão para manter os filmes secretos, visto que as operações nucleares são conhecidas.

Relacionadas

Últimas notícias

Somados, os candidatos presidenciais dos dois grandes partidos franceses não chegaram sequer a 30% dos votos na primeira volta das presidenciais. Uma crise do centrão que foi mortífera na Itália dos anos 1990, arrasadora na Grécia da austeridade e se faz sentir também hoje em Espanha. Veremos se se confirmará em França, que tem legislativas em junho. Um P&R para perceber melhor.

Partilhar

Conteúdo Patrocinado

Mais popular