Denunciadas más condições em canil de Baião

Um canil no cadaval

Os cães estão em espaços muito pequenos e há animais com sarna e feridas abertas. Câmara promete novas instalações

Uma defensora dos direitos dos animais denunciou hoje as alegadas más condições do canil de Baião, onde se encontram duas dezenas de animais e a Câmara promete que este ano começam as obras para um novo espaço.

Numa comunicação escrita enviada à Lusa, Rita Sousa referiu ter-se deslocado recentemente a Baião, onde fotografou os canídeos "para fomentar a sua adoção", tendo ficado "incomodada" com o cenário que encontrou.

Segundo revelou, os cães estão divididos por três 'boxes', em espaços muito pequenos, tendo observado inclusive animais com sarna e feridas abertas.

Numa das 'boxes', sublinhou, "os cães ficam expostos à chuva e ao frio, sem qualquer proteção". Alguns animais aparentam estar subnutridos, denuncia também, entre outras situações.

Sobre a atual denúncia, o vereador Henrique Gaspar Ribeiro, da Câmara de Baião, sublinhou que o espaço onde se encontram os animais não pode ser considerado um canil.

"São instalações que acolhem animais errantes, capturados no concelho e que permanecem ali até serem encaminhados para o Centro de Proteção Animal de Vila Real", assinalou, em declarações à Lusa.

Segundo o autarca, têm sido realizadas ações de adoção, em articulação com uma associação local e desde janeiro, frisou, já foram adotados 20 cães.

"Por isso, temos mantido os animais naquelas instalações, porque consideramos importante o trabalho que estamos a fazer ao nível da adoção", afirmou.

A associação local "Amor Animal", prosseguiu, está em conversações com a autarquia para criar um abrigo. O projeto já está feito e vai ser construído junto ao Centro Hípico de Baião.

A obra deverá iniciar-se ainda este ano, prometeu.

O vereador sublinhou, por outro lado, que os animais são visitados e acompanhados pelo veterinário do concelho vizinho, Marco de Canaveses.

Revelou também que a Câmara de Baião está a trabalhar num protocolo com o Centro de Proteção Animal de Vila Real, entidade que este tem uma empresa especializada a trabalhar na captura dos animais.

"O objetivo é que esta parceria possa fazer com que essa empresa se desloque a Baião e faça a captura, dado que não temos pessoal especializado", explicou.

Henrique Gaspar Ribeiro disse sentir-se "desiludido com esta exposição negativa do concelho", alegando que se tem trabalhado "para o bem dos animais".

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Sociedade
Pub
Pub